Colisão entre veículo ligeiro e dois motociclos provoca dois mortos em Setúbal

11 de Junho 2023

Duas pessoas morreram e outras duas sofreram ferimentos graves na sequência de uma colisão entre um veículo ligeiro e dois motociclos, na serra da Arrábida, em Setúbal, disseram à agência Lusa fontes dos bombeiros e da GNR.

Fonte do Comando Territorial de Setúbal da GNR indicou que na sequência do acidente morreu uma mulher de 31 anos e um homem, cuja idade ainda não foi apurada pelas autoridades.

De acordo com o Comando Sub-regional da Península de Setúbal, o alerta para o acidente, que ocorreu na Estrada Nacional (EN) 379-1, em Alto do Pico, no concelho de Setúbal, foi dado pelas 12:59.

A mesma fonte indicou que os dois feridos graves foram transportados para o hospital de Setúbal, tendo ainda resultado do acidente outros dois feridos leves que foram transportados para o hospital Garcia de Orta, em Almada.

Foram mobilizados para o local os bombeiros, o INEM e a GNR, num total de 21 operacionais, apoiados por 10 veículos, incluindo as Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Setúbal e do Barreiro e duas ambulâncias de Suporte Básico de Vida (SBV) de Setúbal e Almada.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Prémio de Investigação Noémia Afonso recebe trabalhos até 31 de julho

O Prémio de Investigação Noémia Afonso, promovido pela Sociedade Portuguesa de Senologia (SPS), anunciou a extensão do prazo de envio dos trabalhos até 31 de julho de 2024. A iniciativa tem como objetivo incentivar a cultura científica e fomentar a investigação clínica na área do cancro da mama.

Guadalupe Simões: Quantidade de atos “não se traduz em acompanhamento com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”

Esta sexta-feira, Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, criticou a escolha do Governo de pagar pela quantidade de atos. “Quando o Governo diz que dá incentivos ou que dá suplementos financeiros se fizerem mais intervenções cirúrgicas, se tiverem mais doentes nas listas, se operarem mais doentes no âmbito dos programas do SIGIC, se, se, se, está sempre a falar de quantidade de atos, que não se traduz em acompanhamento das pessoas com a qualidade e segurança que qualquer pessoa deverá exigir”, explicou ao HealthNews.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights