Serei o primeiro a voluntariar-me para ensaio clínico credível – Diretor do África CDC

23 de Abril 2020

Adis Abeba, 23 abr 2020 (Lusa) - O diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC) disse hoje que será o primeiro a voluntariar-se para um ensaio clínico "adequado e credível", rejeitando a utilização dos africanos como cobaias.

Adis Abeba, 23 abr 2020 (Lusa) – O diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC) disse hoje que será o primeiro a voluntariar-se para um ensaio clínico “adequado e credível”, rejeitando a utilização dos africanos como cobaias.

“Os africanos são perfeitamente capazes de coordenar e implementar ensaios clínicos, mas o que emerge é que os africanos vão ser usados para testar vacinas como se fossem cobaias, e isso é errado; se houver uma vacina credível e adequada eu serei o primeiro a testá-la”, prometeu John Nkengasong.

O responsável aludia a uma posição expressa no início do mês por dois médicos franceses, que sugeriram a realização de testes de vacinas contra a covid-19 em África.

Durante a conferência de imprensa semanal, realizada em formato virtual, o diretor do África CDC defendeu que “os critérios aplicados nos Estados Unidos, na Europa ou na Ásia devem ser aplicados aqui” e argumentou que “os africanos devem participar em todos os tipos de pesquisa, não apenas como participantes nos ensaios, mas também como coordenadores, cientistas e investigadores, porque há muitos africanos capazes que sabem como fazer ensaios clínicos”.

John Nkengasong deu o exemplo da experiência de vários países na abordagem ao Ébola e lembrou que “a vacina para esta doença foi feita em África”.

Questionado sobre a relação com a China e sobre o papel deste país na divulgação de informações sobre a doença logo no início, o diretor do CDC África respondeu que primeiro é preciso vencer a pandemia.

“Agora estamos em guerra com a covid-19, temos de nos focar em estratégias para ganhar, e é demasiado cedo; quando isto acabar todos vamos avaliar o papel não só da China, mas de todos, e também de África enquanto continente, ver o que sabemos e o que fizemos, mas será uma análise depois da guerra ganha, e aí vamos apurar responsabilidades e definir estratégias para o futuro”, afirmou.

De acordo com o CDC, nas últimas 24 horas, o número de mortos registados subiu de 1.191 para 1.242 enquanto as infeções aumentaram de 24.686 para 25.937.

O número total de doentes recuperados subiu de 6.425 para 6.534.

O norte de África mantém-se como a região mais afetada pela doença com 10.990 casos, 867 mortos e 2.763 doentes recuperados.

Na África Ocidental, há registo de 6.183 infeções, 158 mortos e 1.794 doentes recuperados.

A África Austral contabiliza 77 mortos em 3.893 casos de covid-19 e 1.123 doentes recuperados.

A pandemia afeta 52 dos 55 países e territórios de África, com cinco países – África do Sul, Argélia, Egito, Marrocos e Camarões – a concentrarem quase metade das infeções pelo novo coronavírus e mais de dois terços das mortes associadas à doença.

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights