Bósnia permite saída à rua a maiores de 65 anos e Sérvia abre ginásios

27 de Abril 2020

Sarajevo, 27 abr 2020 (Lusa) – O desconfinamento nos Balcãs entrou hoje numa nova fase, com as pessoas de mais de 65 anos pela primeira vez autorizadas a sair de casa em regiões da Bósnia-Herzegovina, enquanto na Sérvia reabriram os cabeleireiros e ginásios.

Sarajevo, 27 abr 2020 (Lusa) – O desconfinamento nos Balcãs entrou hoje numa nova fase, com as pessoas de mais de 65 anos pela primeira vez autorizadas a sair de casa em regiões da Bósnia-Herzegovina, enquanto na Sérvia reabriram os cabeleireiros e ginásios.

De acordo com o canal televisivo regional N1, na Federação bósnia – a entidade dos bosníacos (muçulmanos) e croatas –, foi suspenso o confinamento total em vigor desde março para as pessoas com mais de 65 anos e com menos de 18 anos.

Os mais idosos podem agora sair de suas casas às segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 09:00 e as 13:00, enquanto os mais novos são autorizados a andar nas ruas às terças, quintas e sábados, entre as 14:00 e as 20:00, mas sempre com o uso de máscara e mantendo o distanciamento social.

Na semana passada, o Tribunal Constitucional bósnio pediu às autoridades para reconsiderarem as restrições ao movimento destes cidadãos, pelo facto de não estarem fundamentadas de forma clara nem ter sido estabelecido um limite para a sua vigência.

Os dados oficiais indicam que a Bósnia-Herzegovina regista até ao momento 1.516 contágios por coronavírus, incluindo 60 óbitos.

Na vizinha Sérvia, os cabeleiros, salões de beleza e ginásios obtiveram autorização para reabrir hoje, após na semana passada os sapateiros, alfaiates, escolas de condução e mercados terem retomado a atividade.

Na Sérvia, com 8.042 contágios confirmados e 156 mortos por covid-19, permanece em vigor o recolher obrigatório entre as 18:00 e as 05:00 durante os dias úteis, e o confinamento total durante os fins de semana.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 207 mil mortos e infetou quase três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Perto de 810 mil doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (54.877) e mais casos de infeção confirmados (cerca de 965 mil).

Seguem-se Itália (26.977 mortos, quase 200 mil casos), Espanha (23.521 mortos, mais de 209 mil casos), França (22.856 mortos, cerca de 162 mil casos) e Reino Unido (21.092 mortos, mais de 157 mil casos).

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APDI dedica mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII)

A APDI – Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, colite ulcerosa, doença de Crohn está a dedicar, mais uma vez, o mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII) seguindo as indicações da EFFCA – Federação Europeia das  Associações de Doença de Crohn e Colite Ulcerosa que neste ano de 2024 escolheu como mote “A  DII não tem fronteiras”.

Nuno Jacinto: “A Medicina Geral e Familiar tem um papel central em todos os sistemas de saúde”

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) reforçou a importância da especialidade na promoção da saúde e prevenção da doença. No âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, Nuno Jacinto falou ao HealthNews sobre os constragimentos que estes profissionais de saúde enfrentam e dos desafios que os cuidados de saúde primários enfrentam em Portugal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights