Governo espanhol define faixas horárias para sair à rua a partir de sábado

30 de Abril 2020

Madrid, 30 abr 2020 (Lusa) – O governo espanhol anunciou hoje que os maiores de 14 anos de idade podem sair de casa para passear e fazer exercício físico a partir de sábado, das 06:00 às 10:00 e das 20:00 às 23:00.

Madrid, 30 abr 2020 (Lusa) – O governo espanhol anunciou hoje que os maiores de 14 anos de idade podem sair de casa para passear e fazer exercício físico a partir de sábado, das 06:00 às 10:00 e das 20:00 às 23:00.

O ministro espanhol da Saúde, Salvador Illa, revelou em videoconferência de imprensa que, depois de confinados em casa há quase sete semanas, os cidadãos vão poder ir à rua nestas faixas horárias durante uma hora e até um quilómetro de distância.

O responsável governamental também precisou que os passeios ou o exercício físico pode ser feito acompanhado por uma pessoa que viva debaixo do mesmo teto, sempre mantendo a distância social de segurança.

Além disso, foram estabelecidas duas outras faixas horárias para a saída de idosos e pessoas dependentes, das 10:00 às 12:00 e das 19:00 às 20:00, sendo as saídas das crianças até 14 anos são restringidas para se realizarem das 12:00 às 19:00, para evitar aglomerações de pessoas.

Os municípios com menos de 5.000 habitantes não estão sujeitos a estas limitações, podendo realizar as atividades permitidas em qualquer altura do dia.

Estas decisões fazem parte das medidas de alívio para a população dentro do confinamento previsto no âmbito do estado de emergência em vigor desde 15 de março.

O Governo espanhol definiu uma fase de transição até finais de junho com o desmantelamento “gradual, assimétrico, coordenado e adaptável” das medidas de confinamento até que todo o país possa entrar numa “nova normalidade” em que se espera que a pandemia de covid-19 esteja controlada.

Madrid aprovou na terça-feira o “Plano de Transição para uma Nova Normalidade” que começou no último domingo com quatro etapas que vão durar cada uma delas cerca de duas semanas para chegar a um total de oito.

As crianças até aos 14 anos de idade já tinham sido autorizadas, a partir de domingo passado, a sair à rua durante uma hora por dia, até a um quilómetro das suas casas, podendo levar brinquedos consigo, embora tenham de se manter afastadas de outros menores.

O “estado de emergência” está em vigor no país desde 15 de março e até 09 de maio próximo e as medidas de confinamento apenas permitem a saída para ir ao local de trabalho, para aqueles que o não possam fazer a partir de casa, ou para adquirir bens considerados essenciais.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a pandemia por cada milhão de habitantes (525 óbitos), depois da Bélgica (655) e antes da Itália (463), Reino Unido (394) e França (369), numa lista em que os Estados Unidos têm 188 e Portugal 97.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Altamiro da Costa Pereira: “A Inteligência Artificial não passa de mais uma ferramenta à disposição do médico”

O impacto das tecnologias no ensino da Medicina e da prática clínica foi o tema escolhido para encerrar o ciclo de conversas conduzidas pelo professor catedrático, Jorge Polónia. Desta vez, e para terminar com ‘chave de oro’, o convidado foi o Diretor da Faculdade de Medicina do Porto, o Prof. Altamiro da Costa Pereira. O responsável destacou que apesar de a Inteligência Artificial ser uma ferramenta “poderosíssima”, esta “nos dá por si só novo conhecimento”, o que significa que “a investigação vai continuar a ser feita” e os médicos vão ser sempre necessários.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights