Coletes de lastro podem ajudar a reduzir obesidade

4 de Maio 2020

Investigadores da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, descobriram um novo método para reduzir o peso corporal e a massa gorda em obesos com a ajuda de coletes

Os resultados do estudo, sugerem a existência de uma espécie de “balança” interna que ajuda a manter o peso corporal constante.

Os investigadores colocaram a hipótese de que carregar os coletes com pesos resultaria numa redução compensatória no peso corporal. O estudo clínico envolveu 69 pessoas com um Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 e 35, ou seja, o menor grau de obesidade. Usaram o colete de lastroInvestigadores da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, descobriram um novo método para reduzir o peso corporal e a massa gorda em obesos com a ajuda de coletes oito horas por dia durante três semanas e fizeram a sua vida normal.

Embora todos os participantes no estudo usassem coletes, foram incluídos aleatoriamente num dos dois grupos estabelecidos. O primeiro grupo recebeu um colete mais leve, com um quilo de peso, enquanto segundo grupo teve que carregar um colete mais pesado, com cerca de onze quilos. Três semanas depois, os participantes com os coletes mais pesados tinham perdido 1,6 Kg, enquanto os usuários de coletes leves perderam 0,3 kg.

“Consideramos de grande interesse que o tratamento com coletes mais pesados reduza a massa gorda, deixando o músculo intacto”, refere Claes Ohlsson, professor da Universidade de Gotemburgo.

“O efeito sobre a massa gorda, neste curto ensaio, foi maior do que o habitual após várias formas de exercício físico. No entanto, não foi possível determinar se essa diminuição afetou a gordura subcutânea ou a gordura abdominal prejudicial, ou seja, aquela que está acumulada na cavidade abdominal e mais claramente ligada a doenças cardiovasculares e diabetes “, explica John-Olov Jansson, também professor da Universidade de Gotemburgo.

Os investigadores já tinham demonstrado, através de estudos com animais, publicados em 2017, a existência de um sistema de compensação que procura manter um peso corporal constante, a que chamaram “gravitostat”. Nos ratinhos, a referida regulação é realizada, entre outros, afetando o apetite. O novo estudo clínico demonstra a existência de um equilíbrio semelhante em humanos.

Quando as pessoas passam muito tempo sentadas, o impacto na “balança” interna do corpo é claramente insuficiente, o que pode explicar o vínculo evidente entre vida sedentária, obesidade e problemas de saúde. Os coletes de lastro podem contribuir para um maior impacto na escala interna, o que diminuiria o peso corporal.

Os investigadores ainda precisam de encontrar respostas para um bom número de questões sobre como funciona o “gravitostat”. Entre outras coisas, pretendem saber se as mudanças no consumo de energia, no apetite e na mobilidade, contribuem para a perda de peso entre as pessoas que receberam um colete. Também querem descobrir se a perda de peso continua entre aqueles que usam o colete mais de três semanas e se o tratamento reduz a gordura abdominal perigosa.

Increased Weight Loading Reduces Body Weight and Body Fat in Obese Subjects – A Proof of concept randomized clinical trial (EClinicalMedicine, publicada por The Lancet)

AlphaGalileo/AO

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Esclerose Múltipla

Cristiana Lopes Martins, fisiatra nos hospitais de Portimão e Lagos (Unidade Local de Saúde do Algarve) e na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano; Eduarda Afonso, fisiatra no hospital de Faro (Unidade Local de Saúde do Algarve)

Enfermeiros querem reunir com António Gandra d’Almeida

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) saudou esta quarta-feira a eleição de António Gandra d’Almeida como novo diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde. Em declarações ao nosso jornal, o responsável afirmou que vai solicitar uma reunião com António Gandra d’Almeida e a nova equipa.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights