Associação das bebidas espirituosas quer reforço dos programas de prevenção nos jovens

A Associação das Bebidas Espirituosas defende o reforço dos programas de prevenção de consumo álcool por menores e diz que os dados que mostram descidas neste consumo pelos adolescentes provam que as ações de prevenção devem ser reforçadas.

Em comunicado, a Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE) recorda os dados divulgados pelo SICAD – Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências e considera positivo o facto de os jovens portugueses estarem a consumir menos bebidas alcoólicas.

A ANEBE considera os números encorajadores e defende que “atestam a importância de continuar a exercer um papel de responsabilidade social de prevenção em matéria de álcool nos menores de idade”.

“O consumo de bebidas alcoólicas em excesso é uma das maiores preocupações e prioridades de ação da ANEBE e de toda a indústria das bebidas espirituosas”, insiste.

O estudo divulgado esta semana pelo SICAD mostra que o álcool é a principal substância psicoativa consumida pelos jovens alunos, seguido do tabaco.

Indica ainda que os comportamentos de maior risco são limitados a uma minoria e sublinha que, face ao estudo anterior (2015), no caso do álcool há uma ligeira descida no tempo de consumo e os casos de embriaguez são também menos, mas essencialmente nos rapazes, já que face a 2015 há um ligeiro aumento do consumo por parte das raparigas.

Citado no comunicado, João Vargas, secretário-geral da ANEBE afirma que “há um caminho a percorrer” e não se deve “baixar a guarda”

“Importa não obliterar os ganhos conseguidos nos últimos anos. Vivermos em plena situação de pandemia, não deve retirar importância a outras questões relevantes de saúde pública. O consumo de bebidas alcoólicas por menores é uma batalha que só pode ser ganha em cooperação com todos os intervenientes, públicas e sociedade civil”, defende.

A ANEBE desenvolve com vários parceiros da sociedade civil – associações juvenis, associações académicas nas áreas da medicina e enfermagem, escolas, associações da economia social – o programa “Menores nem uma Gota”.

O programa tem como missão “mobilizar a sociedade portuguesa para o cumprimento das metas e objetivos do Plano Nacional para a Redução de Comportamentos Aditivos 2020, que visam a redução do consumo de bebidas alcoólicas a menores”, recorda a associação.

Entre 2017 e 2020, o programa “Menores nem uma Gota” desenvolveu várias ações de prevenção e sensibilização por todo o país com escolas, pais e alunos, assim como uma estratégia digital destinada aos pré-jovens e jovens (www.menoresnemumagota.pt).

A ANEBE apela ainda a toda a sociedade civil para se manter vigilante e continuar o esforço de promoção de iniciativas de prevenção de consumo de álcool com escolas, alunos e pais: “Todos não seremos demais neste esforço”, conclui.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This