EULAR. Liga Europeia Contra o Reumatismo lança Centro de Pesquisa Virtual

9 de Junho 2020

Com o novo Centro de Investigação Virtual, a Liga Europeia Contra o Reumatismo (EULAR) tenciona estabelecer uma plataforma virtual que procura acelerar a pesquisa sobre doenças reumáticas e musculosqueléticas por toda a Europa e no mundo

As doenças reumáticas e musculosqueléticas dolorosas incapacitam milhões de pessoas nos Estados Unidos e em todo o mundo. A causa de mais de 200 destas condições tem origens que desconhecemos ainda, tal como a cura. Pesquisa e inovação são cruciais para melhorar a nossa compreensão relativamente às causas e caraterísticas deste grupo de doenças, para que possamos desenvolver melhores estratégias de prevenção e tratamentos. Com o novo Centro de Investigação Virtual, a Liga Europeia Contra o Reumatismo (EULAR) tenciona estabelecer uma plataforma virtual que procura acelerar a pesquisa sobre doenças reumáticas e musculosqueléticas por toda a europa e no mundo ao juntar e mobilizar uma comunidade de investigação multidisciplinar interessada em dar continuidade à investigação na área.

É ainda necessário reunir mais conhecimento, incluindo melhores maneiras de prevenir estas condições, identificar fatores de risco e diagnosticá-las mais cedo. Tais melhorias ajudarão também a aliviar os efeitos de outras doenças crónicas que muitas vezes ocorrem destas doenças reumáticas ou musculosqueléticas, tais como cardiopática, diabetes, cancro, alzheimer e depressão.

“Existem muitas barreiras à investigação no campo das doenças reumáticas e musculosqueléticas por toda a Europa que tornam a sua investigação difícil”, diz o professor presidente da EURLAR, o Dr. Iain B. McInnes da Universidade de Glasgow. “Reduzir o fardo das doenças reumáticas e musculosqueléticas para os indivíduos e para a sociedade requere ações compreensivas e coordenadas na União Europeia, a nível nacional e regional, bem como em diferentes áreas políticas como na saúde pública, cuidados de saúde e no trabalho, solidariedade e segurança social. Com o Centro de Investigação Virtual do EULAR vamos desenvolver iniciativas que procuram trazer investigadores, instituições e organizações juntas para levar a um diálogo coordenado”, explica McInnes.

Outros desafios da pesquisa incluem o financiamento limitado que minimiza os feitos que podem ser conseguidos. As instituições científicas que estão dispostas a colaborar muitas vezes dependem do financiamento de projetos a curto-prazo, o que limita os projetos de pesquisa e o quão longe os cientistas podem ir. Para ajudar a contornar estas barreiras, o novo centro da EULAR facilita a pesquisa translacional, básica e clínica para melhorar as vidas de pessoas com doenças reumáticas e musculosqueléticas. O centro fá-lo ao providenciar um mapa de pesquisa que salienta as necessidades por satisfazer, bem como os recursos de pesquisa, infraestruturas, serviços e treino que permita uma alta qualidade de pesquisa interdisciplinar e de doenças reumáticas e musculosqueléticas. Exemplos de serviços disponíveis incluem:

  • O Serviço de Consulta do EULAR, que fornece aconselhamento especializado a investigadores com o objetivo de melhorar a qualidade das suas pesquisas e protocolos. Investigadores e profissionais de saúde podem receber ajuda com a formulação de perguntas de pesquisa, metodologia e análise de dados.
  • O Serviço de Tecnologia Partilhada do EULAR vai ajudar os investigadores a ganhar acesso à última tecnologia para que possam levar a cabo pesquisa inovadora e de alta qualidade no campo das de doenças reumáticas e musculosqueléticas. A ideia é melhorar a qualidade da pesquisa e remover os obstáculos de acesso aos equipamentos e métodos inovadores e apoiados na tecnologia a que investigadores com baixos financiamentos podem enfrentar.
  • O centro vai também oferecer apoio às equipas científicas ao juntar cientistas, clínicos, profissionais de saúde, organizações de defesa dos doentes e outros membros comunitários que consigam resolver problemas interdisciplinares, operacionais e do sistema científico geral que digam respeito à pesquisa nas doenças reumáticas e musculosqueléticas e que não consigam ser superados por uma equipa apenas.
  • Através da Escola EULAR, o Centro de Investigação Virtual vai providenciar oportunidades de formação para uma força de trabalho altamente qualificada e diversa de investigadores, clínicos e profissionais de saúde na área das doenças reumáticas e musculosqueléticas. Tópicos abordados incluem métodos de pesquisa, saúde digital e ciência dos dados com foco na pesquisa para as doenças reumáticas e musculosqueléticas.

Para prosseguir na sua missão, o centro também desenvolve vastas colaborações e parcerias a nível local, nacional e internacional para integrar os recursos existentes, apoiar pesquisa que se debruce sobre as necessidades dos doentes afetados por doenças reumáticas e musculosqueléticas, e promover a investigação no meio. “A Europa já tem um número de excelentes redes de pesquisa e iniciativas virtuais de investigação focadas noutras doenças ou tópicos de saúde. Estamos ansiosos por formar parcerias com sociedades e organizações para integrarmos todos os esforços de pesquisa quanto possível por toda a Europa para alavancarmos os recursos existentes”, explicou McInnes.

NR/HN/João Daniel Ruas Marques

 

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

UC integra estudo mundial sobre aumento da obesidade

Mais de um bilião de pessoas vivem atualmente com obesidade no mundo, segundo um estudo internacional em que participaram investigadores da Universidade de Coimbra (UC), divulgou a instituição.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights