Investigadores suecos testam sensor para detetar coronavírus

12 de Junho 2020

Um novo sensor que detete, de imediato, a presença do coronavírus SARS CoV-2, poderá melhorar significativamente a eficiência dos testes e superar alguns dos atuais constrangimentos na vigilância da pandemia.

O sensor, que está a ser desenvolvido por investigadores da Universidade de Malmö, na Suécia, utiliza uma tecnologia inovadora na luta contra a Covid-19.

“A nossa tecnologia é baseada numa forma totalmente sintética de anticorpos e de outros recetores, que prevemos sejam mais estáveis, mais baratos e mais rápidos de projetar e de produzir. Baseia-se num conceito de sensor de vírus em que trabalhamos há vários anos e que pensamos que poderá ser facilmente adaptado ao coronavírus ”, referiu Börje Sellergren, professor do Centro de Investigação em Biointerfaces da Universidade Malmö.

Börje Sellergren, professor do Centro de Investigação em Biointerfaces da Universidade Malmö.

Hoje, existem essencialmente dois tipos de testes usados no contexto da Covid-19: testes de base molecular, que detetam a presença do vírus SARS-CoV-2, e testes serológicos que detetam a resposta imunitária contra o vírus (produção de anticorpos). O sensor no qual os investigadores de Malmö estão agora a trabalhar pretende responder rapidamente se uma pessoa está infetada com a Covid-19 no momento do teste.

“Os atuais testes são caros, exigem instalações laboratoriais e consomem tempo. Isso explica, em parte, as recentes falhas no fornecimento de testes em larga escala. Um sensor que pode detetar diretamente vírus em amostras de saliva, garganta ou cavidade nasal, poderá ajudar a diminuir esse constrangimento. Obviamente, também poderia beneficiar países pobres, com muita população e escassos recursos para a realização de testes”, afirma Sellergren.

A epidemiologia ambiental é outra área importante para a utilização de sensores, na medida em que poderão ajudar na monitorização da presença do vírus na água dos esgotos. Nomeadamente, poderão fazer parte de um sistema de alerta de novos surtos, acrescenta o investigador.

O projeto de investigação de Börje Sellergren foi um dos 100 projetos selecionado no início deste ano pela Academia Real de Ciências da Suécia, pelo seu potencial.

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos junta partidos para debater o setor antes das legislativas

A Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF) vai organizar, no próximo dia 26 de fevereiro, um debate público para discutir as principais preocupações do setor farmacêutico para os próximos anos. O evento “Prioridades para o Ecossistema Farmacêutico e da Saúde”, a ter lugar no Centro Ciência Viva, em Lisboa, vai reunir representantes dos partidos políticos num debate que antecede as eleições legislativas. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights