Especialistas empenhados na melhoria do tratamento da estenose aórtica

23 de Junho 2020

A Academia da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardiotorácica e Vascular (SPCCTV) vai organizar um debate online no dia 24 de junho às 21h00 sobre “Controvérsias no tratamento da Estenose Aórtica”. O webinar visa promover a discussão dos diferentes tratamentos da doença de maneira impedir “desfechos fatais”.

O debate constante sobre quais as melhores técnicas para tratar a estenose aórtica suscitou uma maior preocupação por parte dos especialistas na procura de um consenso. Desta forma, a Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) junta-se à iniciativa da SPCCTV.

De acordo com o coordenador do Projeto Valve For Life/Corações de Amanhã da APIC, Rui Campante Teles, refere que o objetivo do evento consiste em “promover uma discussão entre os especialistas das duas áreas envolvidas no tratamento da estenose aórtica, Cardiologia de Intervenção e Cirurgia Cardíaca, de forma a serem debatidas algumas temáticas, para as quais não temos ainda um consenso”.

O secretário-geral da APIC e presidente da Reunião Anual eAPIC 2020, Pedro de Araújo Gonçalves, garante que o tratamento da estenose aórtica por técnicas de cardiologia de intervenção é, atualmente, um dos principais focos da área. É neste sentido que defende que “a sua discussão por cardiologistas de intervenção e cirurgiões cardíacos é sempre uma mais-valia, para que possamos trocar experiências e tentar perceber qual a melhor forma de tratar os nossos doentes, tirando o melhor que cada especialidade tem para oferecer”.

Os especialistas da área afirmam que a doença afeta mais de 32 mil portugueses, sobretudo acima dos 70 anos, “limitando as suas capacidades e qualidade de vida”. A ausência de tratamento atempado “pode ter um desfecho total, uma vez que a válvula aórtica vai tornar-se cada vez mais estreita, impedido o fluxo sanguíneo para fora do coração. Os sintomas são cansaço, dor no peito e desmaios”

O Webinar “Controvérsias no tratamento da Estenose Aórtica” vai ser realizado em inglês e vai contar com a participação de cardiologistas, assim como de cirurgiões nacionais e internacionais.

PR/HN/ Vaishaly Camões

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights