Um novo estudo estimou que, no Reino Unido, as pessoas a partir dos 50 anos de idade podem esperar continuar a ser saudáveis e a trabalhar durante mais nove anos.

No Reino Unido, a idade para aceder à reforma passou dos 65 para os 66 anos e, em outubro deste ano, deverá aumentar para os 67 anos até 2028. Uma nova investigação revelou que, em média, as pessoas poderão trabalhar e manter-se saudáveis até aos 59 anos de idade.

O estudo, realizado pela Universidade de Keele, em conjunto com a Universidade de Newcastle, avança com as primeiras estimativas de esperança de vida profissional saudável para adultos com 50 anos de idade. Os investigadores concluem que, em média, depois daquela idade, é expectável que as pessoas tenham de trabalhar cerca de dois anos em condições de saúde adversas.

Publicada no “The Lancet Public Health”, esta investigação analisou dados de 15.284 homens e mulheres com 50 ou mais anos do “English Longitudinal Study of Ageing (ELSA)” entre 2002-2013, e relacionou-os com registos de mortalidade do Serviço Nacional de Saúde (NHS), para identificar o número médio de anos que as pessoas vivem com saúde e a trabalhar.

Os resultados mostram que, a partir dos 50 anos de idade, os homens podem esperar ter saúde e trabalhar durante mais tempo do que as mulheres – 10,9 anos em comparação com 8,3 anos. Estes valores são inferiores em cerca de um ano quando se trata de trabalho manual.

Os resultados mostram também uma divisão Norte-Sul, sendo a esperança de vida profissional saudável 4,5 anos mais baixa para aqueles que vivem no Nordeste de Inglaterra, em comparação com o Sudeste. Os que vivem nas zonas mais carenciadas tiveram a vida profissional saudável mais curta (6,8 anos, em média, a partir dos 50 anos de idade).

Os que têm saúde e trabalham aos 50 anos estão em melhor posição para ter a vida profissional saudável mais longa (11 anos). O estudo também descobriu que as pessoas que não são saudáveis mas que ainda trabalham aos 50 anos de idade voltam a ser saudáveis e a trabalhar durante mais oito anos.

Em contrapartida, as pessoas que são saudáveis e não trabalham aos 50 anos de idade têm uma esperança de vida de trabalho saudável de seis anos. A esperança de vida profissional saudável era de apenas três anos para pessoas que não são saudáveis e não trabalham aos 50 anos de idade.

O autor principal do estudo, Marty Parker, da “Keele University’s School of Primary, Community and Social Care”, referiu: “A esperança de vida profissional saudável a partir dos 50 anos de idade é inferior aos anos que restam até à idade da reforma. Apesar do percurso de vida de cada indivíduo ser sempre diferente, os nossos resultados sugerem que, à medida que a idade da reforma for aumentando, mais pessoas terão dificuldade em conseguir continuar a trabalhar”.

“A saúde precária e a falta de oportunidades de emprego adequadas são duas das principais razões para a reforma antecipada, ausência do trabalho por doença e produtividade reduzida. Os trabalhadores mais velhos – especialmente os que se encontram em áreas mais desfavorecidas e em empregos manuais – beneficiarão de abordagens pró-ativas para melhorar a saúde e o ambiente de trabalho”.

Informação bibliográfica:

Population-based estimates of healthy working life expectancy in England at age 50 years: analysis of data from the English Longitudinal Study of Ageing.
Lancet Public Health 2020
Marty Parker MSc, M Bucknall, Ross Wilkie, Carol Jagger.

NR/HN/Adelaide Oliveira

Share This