Ferro homenageia Cruz Vermelha e seus sete princípios de respeito pela vida e dignidade humanas

8 de Maio 2021

O presidente da Assembleia da República homenageou este sábado a Cruz Vermelha e os seus sete princípios fundamentais - “humanidade, imparcialidade, neutralidade, independência, voluntariado, unidade e universalidade” – numa cerimónia evocativa, em Lisboa.

“Subjacente a estes princípios está o respeito pela vida humana e a dignidade da pessoa como valores supremos, a que razão ou circunstância alguma se pode sobrepor. Portugal foi dos primeiros países a aderir ao ideário da Cruz Vermelha, fazendo-se representar na I Convenção de Genebra, em 22 de agosto de 1864, e sendo um dos 12 países signatários”, declarou Ferro Rodrigues.

A segunda figura do Estado português discursava na sessão solene comemorativa do Dia Internacional da Cruz Vermelha, a qual presidiu, no Palácio do Conde de Óbidos.

“Como não poderia deixar de acontecer, neste último ano, Portugal pôde contar, uma vez mais, com o contributo inequívoco da Cruz Vermelha, agora no combate à pandemia da Covid-19, em várias vertentes, desde o acompanhamento e transporte de doentes suspeitos até à realização de testes laboratoriais junto dos lares de idosos, uma das frentes mais dramáticas da luta contra este vírus”, sublinhou.

Ferro Rodrigues elogiou o atual presidente da instituição, Francisco George, “cuja longa e ilustre carreira de serviço público, inteiramente dedicada à Saúde, é de todos conhecida”, num “testemunho da excelência desse percurso, do rigor e o profissionalismo com que sempre exerceu as funções para que foi chamado, bem como das qualidades humanas que o caracterizam”.

O presidente do parlamento evocou ainda os antecessores de George, especialmente Maria Barroso, mulher do antigo chefe de Estado e de Governo Mário Soares, e co-fundadora do PS, do qual Ferro Rodrigues também já foi secretário-geral.

O Dia Mundial da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho celebra-se a 08 de maio, dia de nascimento do suíço Henry Dunant, que fundou a organização em 1863.

Segundo a própria, trata-se da maior organização humanitária do Mundo, com cerca de 97 milhões de voluntários em 190 países.

Em Portugal, a Cruz Vermelha foi fundada por José António Marques e iniciou atividade em 11 de fevereiro de 1865, há mais de 150 anos, sob a designação de “Comissão Portuguesa de Socorros a Feridos e Doentes Militares em Tempo de Guerra”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APAH defende autonomia após ministra anunciar auditoria

 A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) defendeu hoje autonomia para as administrações tomarem decisões, depois de a ministra da Saúde anunciar a criação de uma comissão para auditar os conselhos de administração dos hospitais.

Enfermeiros denunciam situação “explosiva” na Linha SNS 24

A Linha SNS 24 vive uma situação “explosiva” e, entre os enfermeiros que prestam serviço nesta linha de atendimento, já se fala em paralisação. A denúncia é feita pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE), que teve conhecimento do caso por meio de uma exposição dos enfermeiros que ali prestam serviço, em tempo parcial.

Violência contra a pessoa idosa em debate

A Câmara Municipal de Ponta Delgada (São Miguel, Açores) promove na próxima sexta-feira, às 9h30, uma palestra subordinada ao tema da consciencialização da violência contra a pessoa idosa, isto na véspera do dia mundial que lhe é dedicado pela Organização das Nações Unidas.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights