Casos diários podem chegar aos 1.800 sem medidas preventivas em Timor-Leste

10 de Maio 2021

O número de casos diários confirmados em Timor-Leste poderá ultrapassar os 1.800 se as atuais medidas preventivas forem removidas, segundo um modelo epidemiológico divulgado hoje pelas autoridades

Nesse cenário, segundo um relatório epidemiológico divulgado hoje, o número de casos positivos reportados poderia “chegar a um pico de 1.827 por dia”, com o número total de casos ativos (reportados e não testados) a atingir os 11 mil por dia.

Cenário inverso, com medidas como as atuais – incluindo confinamento obrigatório e isolamento de casos positivos – a par da aceleração da vacina, o número de casos diários poderá “atingir um pico de 560 por dia” com o total de casos ativos (reportados e não testados) a “atingir um pico de 3371 por dia”.

“Com a continuidade de medidas de saúde pública, é possível evitar um aumento severo nos números de casos, associado ao esgotamento do sistema de saúde pública que ocorreria no primeiro cenário”, refere o estudo.

A análise é feita com base em modelagem epidemiológica numrelatório preparado pelo Pilar 3 do Ministério da Saúde, em conjunto com a Força-Tarefa para Prevenção e Mitigação da covid-19 da Sala de Situação do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), com o Instituto Nacional de Saúde timorense, Organização Mundial de Saúde (OMS), as Equipas de Apoio Médico Australiano (AusMAT) e a Menzies School of Health Research, instituição que apoia o Laboratório Nacional timorense em Díli, nos testes à covid-19.

Neste caso, a modelagem levada a cabo pelo COVID-19 International Modelling (CoMo) Consortium, “mostra que medidas de saúde pública para reduzir a transmissão em Timor-Leste são importantes para minimizar o impacto do surto em termos de números de casos, hospitalizações e mortes”.

A par das medidas deve avançar “o mais rapidamente possível” o processo de vacinação.

A modelagem surge numa altura de crescentes debates em Timor-Leste sobre o impacto das medidas de saúde pública na situação socioeconómica da população.

O relatório, que analisa a situação epidemiológica em Timor-Leste na última semana, entre 03 e 09 de maio, indica que nesse período a percentagem de testes com resultado positivo aumento de 11 para 23%.

Como exemplo, o relatório refere os quase 2.900 testes realizados nesse período a pessoas que pretendiam sair da cerca sanitária de Díli, dos quais 319 (11%) tiveram resultado positivo.

“Isso pode ser usado para estimar a prevalência, e com um grau de confiança de 95%, estima-se que a prevalência atual da covid-19 em Díli é de entre 9,9 e 12,2%”, sublinha.

“Com base na população estimada de 352 mil pessoas em Díli, e tendo em conta a taxa mais baixa, estima-se que pelo menos 35 mil pessoas em Díli estão atualmente infetadas” com o SARS-CoV-2.

No que toca à incidência, os dados da última semana mostram um aumento de 5,9 para 8,5 casos por 100 mil habitantes, face à semana anterior.

Desde 01 de março houve ainda 64 pessoas que necessitaram hospitalização, com 12% de todos os casos positivos registados na última semana a serem sintomáticos, um aumento face aos 7% da semana anterior.

Crucial para a resposta e combate à doença, considera o relatório, é a campanha de vacinação, que entrou hoje na segunda fase, abrangendo pessoas com mais de 60 anos ou que tenham comorbidade em Díli e eventuais funcionários da linha da frente que não tenham sido ainda vacinados.

Timor-Leste está a viver o seu pior momento desde o inicio da pandemia, com 1.540 casos ativos e 3.227 acumulados desde março de 2020.

NR/HN/LUSA

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

INEM esclarece que chamadas via 112 são descentralizadas

O INEM esclareceu que as chamadas que dão entrada via 112 para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) são descentralizadas, avançando que hoje de manhã estavam ao serviço 48 técnicos, 24 dos quais em atendimento.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights