Pessoas que vivem com VIH têm maior risco de contrair Covid-19 mas menor acesso às vacinas

15 de Outubro 2021

.

A evidência mostra que as pessoas que vivem com o VIH e que ficam infetadas com o SRA-CoV-2 correm um risco acrescido de necessitarem de hospitalização e de desenvolverem complicações clínicas, alerta a ONUSIDA.

Dados dos Estados Unidos mostram que as pessoas que vivem com o VIH e que foram infetadas com o SARS-CoV-2 correm maior risco de necessitarem de hospitalização e de desenvolverem outras doenças graves do que as pessoas seronegativas.

Além disso, estudos realizados em Inglaterra e na África do Sul mostram que o risco de morrer da Covid-19 entre as pessoas que vivem com o VIH é o dobro da população em geral. As doenças relacionadas com a SIDA em grau avançado e/ou a presença de comorbilidades crónicas, que tendem a ser comuns em pessoas que vivem com o VIH, parecem estar diretamente relacionadas com a gravidade da Covid-19 na população seropositiva.

Contudo, “o acesso às vacinas Covid-19 em todo o mundo permanece extremamente desigual e injusto”. De acordo com a ONUSIDA, no início de outubro de 2021 ainda existiam baixos níveis de acesso às vacinas nos países de médio e baixo rendimento, onde vivem mais de metade (55%) das pessoas com VIH a nível mundial. 

 

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

José Albino é novamente presidente da Respira

Os associados da Respira – Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas elegeram, no passado dia 6 de junho, a nova direção para o quadriénio 2024-2027. José Albino e Paula Duarte iniciam agora o mandato na qualidade de presidente e vice-presidente, respetivamente.

Dermatite atópica: Novos dados sobre upadacitinib

A AbbVie anuncia os resultados do LEVEL UP, um estudo de Fase 3b/4, aberto (mas com ocultação para o avaliador) e comparativo que avaliou a eficácia e a segurança de upadacitinib (com dose inicial de 15 mg uma vez por dia e ajuste da dose com base na resposta clínica) comparativamente a dupilumab (na dose aprovada) em adultos e adolescentes (com idade ≥ 12 anos) com dermatite atópica (DA) moderada a grave que tiveram uma resposta inadequada à terapêutica sistémica ou quando a utilização desse tipo de terapêuticas era desaconselhada.

Guilherme Veríssimo: “A saúde começa pela boca”

A evidência científica comprova que a má saúde oral está diretamente relacionada com 23 doenças sistémicas, entre elas a diabetes e as doenças cardiovasculares, e cinco tipos de cancro. Esta realidade pode surpreender a maior parte da população, mas não os dentistas. Em entrevista ao nosso jornal, o Médico Dentista, Guilherme Veríssimo, frisa que a “saúde oral não se resume a uma questão estética”, deixando alguns alertas para a importância da correta higienização dos dentes. O médico dentista aproveitou ainda para desmistificar alguns dos principais mitos associados à doença peridontal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights