Podem morrer 500 mil pessoas até março, alerta OMS

20 de Novembro 2021

A Organização Mundial de Saúde (OMS) manifestou hoje grande preocupação com o aumento de casos de covid-19 na Europa e advertiu que cerca de 500 mil pessoas podem morrer até março de 2022 se não forem tomadas medidas urgentes

As declarações foram feitas à BBC pelo diretor regional da OMS, Hans Kluge, para quem o uso de máscaras faciais pode ajudar imediatamente, depois de países como a Alemanha e a Áustria terem registado um aumento acentuado de infeções.

Segundo Kluge, o inverno, a falta de vacinação e a presença da variante delta, a mais contagiosa, são os fatores por detrás do pico dos novos casos de coronavírus na Europa.

Por isso, o responsável apelou a medidas de saúde pública e à vacinação de mais pessoas.

“A covid-19 é novamente a causa número um da mortalidade na nossa região”, disse Kluge à BBC, acrescentando: “sabemos o que precisamos de fazer” para combater o vírus.

A obrigatoriedade da vacinação deveria ser um “último recurso”, uma vez que medidas como a utilização do certificado digital covid poderiam ser tomadas em primeiro lugar.

O diretor europeu da OMS salientou que estas decisões não são uma restrição da liberdade, mas “um instrumento para manter a nossa liberdade individual”.

A Áustria tornou-se o primeiro país europeu a anunciar a vacinação obrigatória até fevereiro de 2022, enquanto países como a República Checa e a Eslováquia anunciaram novas restrições para as pessoas que não estão imunizadas.

NR/HN/LUSA

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Carolina Guedes sobre a LisbonPH: “Somos o paradigma da mudança no setor da Saúde”

A LisbonPH, associação sem fins lucrativos fundada por estudantes empreendedores, organiza esta sexta-feira um evento comemorativo do seu décimo aniversário. Através do desenvolvimento de projetos focados no Profissional de Saúde, a associação tem trabalhado para ser o “paradigma da mudança no setor da saúde”. Em entrevista ao nosso jornal, a Presidente Executiva sublinhou alguns dos principais desafios e revelou as metas para a próxima década.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights