Fernando Mesquita Psicólogo Clínico Sexólogo / Terapeuta Sexual

A duração das relações amorosas prejudica o prazer sexual?

05/22/2023

Como terapeuta sexual e conjugal, não é raro ouvir casais a normalizarem o facto de sentirem uma diminuição do prazer sexual associada à duração da relação amorosa. Será que o prazer sexual é comprometido com a ausência de novidade? Que fatores são responsáveis pelo prazer sexual? É sobre isso que vou falar neste pequeno artigo.

O prazer sexual é definido como uma experiência complexa e subjetiva, que varia de pessoa para pessoa, mas, ao contrário do que geralmente se pensa, a duração da relação nem sempre tem uma carga negativa, podendo mesmo favorecer o prazer sexual do casal. Por exemplo, alguns casais relatam que a duração da relação amorosa beneficiou o seu prazer sexual, pois permitiu que se conhecessem melhor e se sentissem mais à vontade um com o outro, provocando a sensação de uma maior intimidade e conexão sexual. Para estes casais, o facto de se sentirem mais confortáveis ajudou-os a criar uma maior abertura para experimentar novas posições e fantasias sexuais, assim como uma melhor compreensão das necessidades individuais.

Porém, também há casais que acusam a duração da relação amorosa de prejudicar o prazer sexual, especialmente quando se instalou a monotonia e o desinteresse por um ou ambos os elementos do casal. De facto, a ausência de novidade na intimidade pode ser responsável pelo aborrecimento sexual ou pela diminuição de desejo sexual, para muitas pessoas. Além disso, com o passar do tempo, a acumulação das responsabilidades do dia-a-dia e do stress pode levar a uma diminuição do desejo sexual.

Sendo verdade que a duração da relação pode influenciar o prazer sexual, não devemos descurar a importância de outros fatores. Por isso, deixo aqui algumas sugestões para os casais que desejam melhorar o prazer sexual:

1 – Comunicação: falem sobre as vossas preferências sexuais, limites, desejos e necessidades para garantirem que estão confortáveis e satisfeitos. Uma comunicação clara e honesta entre os parceiros é fundamental para uma experiência sexual satisfatória.
2 – Confiança: é importante que os parceiros se sintam seguros um com o outro e que se respeitem mutuamente.
3 – Intimidade emocional: a demonstrações de afeto, elogios, carinho, apoio emocional e outras formas de conexão emocional é fundamental para uma experiência sexual satisfatória.
4 – Variedade: experimentar diferentes posições, técnicas e brinquedos sexuais, pode potenciar o prazer e a satisfação sexual.
5 – Saúde física e emocional: uma boa saúde física e mental é fundamental para uma experiência sexual positiva e satisfatória.
6 – Compatibilidade sexual: atração sexual mútua, interesses sexuais semelhantes e um nível semelhante de desejo sexual são fatores muito importantes para que o casal tenha uma experiência sexual satisfatória.

No fundo, o meu conselho é que cada indivíduo explore a sua sexualidade e comunique os seus desejos e necessidades aos respetivos parceiros, para garantir uma experiência sexual positiva e satisfatória.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Obesidade e Cancro: Investir em saúde, para poupar na doença

Prof. Dr. Gil Faria: Cirurgião especialista em Cirurgia da Obesidade e Metabolismo; Coordenador dos Centros de Tratamento da Obesidade do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e do Grupo Trofa Saúde; Professor da FMUP; Investigador clínico na área da Cirurgia Metabólica e Obesidade

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights