Idosos feridos após derrocada de prédio em Lisboa em observação no hospital

4 de Dezembro 2023

Os dois idosos que ficaram esta segunda-feira feridos após a derrocada de um prédio em obras na Calçada da Picheleira, em Lisboa, vão manter-se em observação no hospital, mas o seu estado não inspira cuidados, segundo a proteção civil municipal.

A diretora do Serviço Municipal de Proteção Civil, Margarida Castro Martins, disse à agência Lusa cerca das 11:30, que os dois idosos, um casal que ficou soterrado, vão manter-se em observação no Hospital de São José, em Lisboa.

“Não inspiram cuidados. A senhora partiu um pé”, afirmou.

Os dois idosos, a filha e neta estavam em casa, quando o edifício onde moravam foi atingido pela derrocada do prédio contíguo, que estava em obras, na Calçada da Picheleira, na freguesia do Beato.

A filha e a neta não ficaram feridas, tendo ficado em casa de familiares uma vez que o prédio onde viviam não tem condições de habitabilidade.

“O alojamento para já está assegurado em casa de familiares”, disse a diretora do Serviço Municipal de Proteção Civil, acrescentando que o dono de obra que provocou os danos está a assumir as suas responsabilidades.

Margarida Castro Martins tinha dito anteriormente à Lusa que o prédio desabou à 01:05 para cima de edifícios contíguos.

Uma equipa da fiscalização do urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa deslocou-se ao local, estando às 11:30 em curso uma vistoria.

Quatro viaturas foram também atingidas pela derrocada do prédio.

O Regimento Sapadores de Bombeiros de Lisboa mobilizou para o local vários meios e operacionais, entre os quais a Unidade Cinotécnica e a “equipa de ‘drones'” para buscas suplementares, não tendo sido detetadas mais nenhumas vítimas.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores da Cruz Vermelha exigem melhores condições de trabalho

 Vários sindicatos denunciaram esta terça-feira as “condições de trabalho desiguais” dos trabalhadores das diferentes delegações da Cruz Vermelha Portuguesa, voltando a exigir um acordo de empresa que garanta iguais direitos e melhores condições laborais.

708 novos dadores na região do Médio Tejo em 2023

O Serviço de Imuno-Hemoterapia da Unidade Local de Saúde do Médio Tejo (ULS Médio Tejo) colheu, durante os 12 meses de 2023, 6.083 dádivas de sangue nas suas três unidades hospitalares. Foram 708 os novos dadores da região.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights