14.º simpósio da Fundação BIAL aborda neurocinema e a invenção da realidade

2 de Abril 2024

O neurocientista Sérgio Neuenschwander, professor catedrático do Instituto do Cérebro, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no Brasil, é um dos oradores convidados do Simpósio “Aquém e Além do Cérebro”, dedicado à criatividade, que decorre no Porto, na Casa do Médico, de 3 a 6 de abril.

O cinema, também designado como sétima arte, tem como função “tocar” de algum modo o espetador. Mas até que ponto nos influencia, nos impacta? E pode ser o cérebro “condicionado” pelas imagens ou pelas cenas? Respostas que o neurocinema procura dar através do estudo de como somos modulados e como podem as cenas ser utilizadas para um determinado propósito. O investigador Sérgio Neuenschwander vem precisamente apresentar o cinema como forma de arte disruptiva que possibilita a invenção da realidade.

Partindo da premissa de que o cinema é uma forma de arte criativa e que apresenta uma construção única da realidade, ao combinar técnicas narrativas e visuais de contar histórias, os filmes criam uma rica experiência sensorial, permitindo que os espectadores sintam, vejam e se envolvam emocionalmente com o conteúdo cinematográfico. Essa perspetiva permite que o público mergulhe em primeira mão nos altos e baixos da narrativa, transcendendo a mera observação. Para Sérgio Neuenschwander, “a verdadeira beleza do cinema reside na sua capacidade de evocar a transformação e a ressonância da experiência sensorial, como se os espectadores fizessem parte de um mundo ficcional em curso”.

Na sessão a seu cargo, na manhã do dia 6 de abril, começará por explicar os mecanismos neuronais considerados relevantes para a representação de imagens, com base em dados experimentais no sistema visual, incluindo a retina, o núcleo geniculado lateral e o córtex visual. Em particular, focar-se-á no debate sobre a atividade neuronal melhorada versus a codificação temporal como mecanismo crítico para a ligação visual e a atenção.

Explicará ainda de que forma os filmes perturbam e desafiam as perspetivas convencionais sobre a representação de imagens, revelando a natureza construtiva da perceção.

A título de ilustração, apresentará exemplos de trabalhos colaborativos com Rivane Neuenschwander e destacará as contribuições documentais e ficcionais de Cao Guimarães. Através destas ideias, pretende estabelecer uma base para discutir como a nossa organização percetual interna impulsiona a criatividade em vários empreendimentos artísticos.

Miguel Castelo-Branco, neurocientista e membro da comissão organizadora do Simpósio, destaca a sessão de Sérgio Neuenschwander, “que ao longo da sua carreira tem feito cruzamentos sucessivos da criatividade na ciência e na arte, com fantásticas incursões em produções de vídeo que capturam a imaginação. É por isso que elevamos expectativas sobre esta intervenção que, a par das restantes que constam do excelente programa do 14º Simpósio, contribuem de forma indelével para a qualidade deste evento”.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

FNAM aponta quatro prioridades para reunião com o Governo

A presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) identificou hoje os salários, as 35 horas semanais, a integração dos médicos internos na carreira e as progressões como prioridades para o encontro da próxima sexta-feira com o Governo.

ULS de Braga certifica mais 35 profissionais no âmbito do Programa Qualifica AP

A Unidade Local de Saúde de Braga (ULS de Braga) finalizou, esta semana, o processo de certificação de mais 35 profissionais, no âmbito do Programa Qualifica AP, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do Centro Qualifica AP.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights