‘Future COPD Leaders 2024’ – Jovens profissionais de saúde podem candidatar-se a curso de três dias em Barcelona

14 de Maio 2024

o "curso inclui Componente Prática Clínica e oportunidade de explorar a evolução no diagnóstico e tratamento da DPOC, permite conhecer outros jovens especialistas, partilhando experiências e ideias, e aprofundar o conhecimento nesta área através da apresentação de projetos e discussões práticas sob a orientação do Prof. Àlvar Agustí"

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia acaba de anunciar o regresso do projeto ‘Future COPD Leaders’, dirigido exclusivamente a jovens especialistas em Pneumologia, Medicina Geral e Familiar ou Medicina Interna, com idade até 40 anos, que tenham um projeto de investigação desenhado ou uma ideia e possam ser implementados ou desenvolvidos durante 2024/2025. Este ano, os candidatos selecionados terão oportunidade de realizar um curso de três dias, entre 18 e 20 de junho, no Hospital Clínic, em Barcelona, sob a orientação do Prof. Àlvar Agustí, líder na área da DPOC. As candidaturas podem ser realizadas via email (candidaturas.copdleaders@sppneumologia.pt).

Em comunicado enviado às redações, a SPP informa que o “curso inclui Componente Prática Clínica e oportunidade de explorar a evolução no diagnóstico e tratamento da DPOC, permite conhecer outros jovens especialistas, partilhando experiências e ideias, e aprofundar o conhecimento nesta área através da apresentação de projetos e discussões práticas sob a orientação do Prof. Àlvar Agustí”.

“A atualização científica e a partilha de conhecimento são elementos críticos na atuação de qualquer profissional de saúde. E a verdade é que as anteriores edições do projeto Future COPD Leaders foram um sucesso e este ano quisemos ir ainda mais além. Mais do que dar a oportunidade de desenvolver um projeto sob a mentoria do Prof. Àlvar Agustí, a edição deste ano alia esta componente ao curso presencial, que será certamente enriquecedor para os candidatos selecionados.”, afirmou Neuza Teixeira, Diretora Médica da GSK, citada no comunicado.

A DPOC é, atualmente, a terceira principal causa de morte em todo o mundo, continuando a ser uma doença desconhecida e subdiagnosticada. O desenvolvimento contínuo de novas terapias e tecnologias oferece oportunidades para melhorar a gestão da DPOC, incluindo medicamentos inovadores e dispositivos de utilização simples. Além disso, há uma necessidade contínua de investigação nesta área para entender melhor o mecanismo subjacente da DPOC, identificar biomarcadores, desenvolver estratégias de prevenção e tratamento e encontrar maneiras de melhorar a qualidade de vida dos doentes.

O ‘Future COPD Leaders’ é uma iniciativa da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), que conta também com o envolvimento do Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias da APMGF (GRESP), do Núcleo de Estudo de Doenças Respiratórias da Sociedade Portuguesa da Medicina Interna (NEDResp) e que tem, novamente, o apoio da GSK.

Mais informação aqui: https://www.sppneumologia.pt/noticias/future-copd-leaders-2024.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Esclerose Múltipla

Cristiana Lopes Martins, fisiatra nos hospitais de Portimão e Lagos (Unidade Local de Saúde do Algarve) e na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano; Eduarda Afonso, fisiatra no hospital de Faro (Unidade Local de Saúde do Algarve)

Enfermeiros querem reunir com António Gandra d’Almeida

O Sindicato Nacional dos Enfermeiros (SNE) saudou esta quarta-feira a eleição de António Gandra d’Almeida como novo diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde. Em declarações ao nosso jornal, o responsável afirmou que vai solicitar uma reunião com António Gandra d’Almeida e a nova equipa.

Fernando Araújo: Autorizações para contratar médicos “têm demorado menos que três dias úteis”

Na comissão parlamentar de Saúde, esta quarta-feira, Fernando Araújo apresentou os feitos da reforma do Serviço Nacional de Saúde e da equipa que liderou enquanto diretor executivo. A reforma “tem conseguido alterar esta burocracia, estes patamares administrativos, estes tempos que eram incomportáveis na gestão do SNS”, tendo decorrido com o envolvimento dos profissionais: “de baixo para cima”.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights