Abertas candidaturas para bolsa ‘ReMission’

15 de Maio 2024

Já estão abertas as candidaturas para a bolsa ‘ReMission’, uma iniciativa que visa promover a investigação científica nas áreas das neoplasias de células B maduras.  Este é um projeto da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL), em parceria com a Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH).

Esta bolsa pretende incentivar a investigação na área da hemato-oncologia e, consequentemente, contribuir para o avanço do conhecimento científico e para a melhoria dos cuidados de saúde prestados aos doentes. É fundamental que continuemos a apoiar e investir em projetos de investigação nesta área, pois só assim poderemos encontrar novas soluções terapêuticas e melhorar a qualidade de vida dos doentes, refere em comunicado Manuel Abecassis, presidente da APCL.

Esta bolsa destina-se a hemato-oncologistas ou internos de hematologia nacionais ou estrangeiros a trabalhar em instituições portuguesas. Os projetos subscritos devem estar relacionados com a investigação clínica ou epidemiológica na área da hemato-oncologia, nomeadamente nas neoplasias das células B, em instituições portuguesas, promovendo assim a colaboração multidisciplinar em Portugal.

“Acreditamos que esta bolsa pode contribuir significativamente para o conhecimento sobre doenças hemato-oncológicas malignas, identificando necessidades concretas que potenciem o desenvolvimento de soluções que melhorem a qualidade de vida dos doentes”, sublinha Maria Gomes da Silva, presidente da SPH.

 A Bolsa vai premiar com 15 mil euros um projeto de investigação com a duração de um ano, a desenvolver numa instituição portuguesa.

As candidaturas estão a decorrer até ao dia 15 de setembro de 2024.

PR/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Os enfermeiros (também) são cientistas

Lara Cunha: Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights