Governo apresenta plano de emergência para a saúde dentro de duas semanas

15 de Maio 2024

O primeiro-ministro afirmou hoje que dentro de duas semanas irá apresentar o programa de emergência para a saúde, com especial foco na recuperação de cirurgias, na obstetrícia e nas respostas no âmbito da medicina familiar.

Luís Montenegro anunciou este calendário no debate quinzenal, na Assembleia da República, em resposta ao presidente do Chega, André Ventura, que antes acusara o líder do executivo de “muita conversa” e nenhuma medida para o setor da saúde.

O primeiro-ministro respondeu então que o líder do Chega “só vai ter de esperar duas semanas” para conhecer o plano de emergência que será apresentado pelo Governo.

“No máximo, dentro de duas semanas, o país vai conhecer o programa de emergência que temos para a saúde. Vai ter incidências na recuperação dos tempos de espera para cirurgias, em particular as mais problemáticas – por exemplo, as oncológicas. Vai ter foco especial na obstetrícia e um plano de resposta de medicina familiar para cerca de 1,5 milhões de portugueses sem médico de família”, especificou.

Luís Montenegro, no entanto, advertiu que o programa será de emergência e “não a transformação estrutural que o Governo tenciona fazer na saúde” até ao final da legislatura, libertando-a de complexos de ordem ideológica.

Na reação às críticas do líder do Chega a uma alegada paralisia na saúde, o primeiro-ministro também comentou, usando a ironia, que “só quem confia muito no Governo pode esperar que em 30 dias apresentasse um programa de emergência transversal – um programa que não foi levado a cabo em 3050 dias” pelo anterior executivo socialista.

“O senhor deputado André Ventura está mais uma vez mais socialista do que os socialistas. Tem para com o Governo uma atitude muito difícil de compreender”, acrescentou.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

OMS lança iniciativa SPECS 2030

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de lançar a iniciativa SPECS 2030, inserida na Global SPECS Network que tem como principal objetivo unir uma rede global de participantes para atingir a meta global do erro refrativo para 2030, que consiste no aumento de 40% na cobertura efetiva desta patologia.

Os enfermeiros (também) são cientistas

Lara Cunha: Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights