Carlos Zorrinho diz que “transformação digital corresponde a uma oportunidade mas também a uma tremenda ameaça”

31 de Maio 2024

O eurodeputado português Carlos Zorrinho chamou hoje a atenção para as oportunidades, mas também para a "tremenda ameaça" da transformação digital na Saúde. 

Carlos Zorrinho foi o orador da sessão “Saúde e Transformação digital: Uma Abordagem Humanista”, realizada esta sexta-feira no Cascais International Health Forum.

Em declarações ao nosso jornal, o representante português na União Europeia salientou que a “transformação digital está a mudar o mundo e a sociedade”, correspondendo a uma “enorme oportunidade, ao mesmo tempo que a uma tremenda ameaça”.

“Enquanto que em alguns países os dados são do Estado ou são do mercado, na Europa os dados são das pessoas. É por isso que temos de conseguir que estes dados sejam colocados ao serviço da Ciência para termos melhores respostas”, disse.

Zorrinho defendeu ser essencial “garantirmos um sentido ético, de propósito e de ganho para as sociedades” quando pensamos na transformação digital em áreas como a Saúde. “Sabemos que na Saúde é difícil chegar a toda a gente com a qualidade que gostaríamos, mas é importante que consigamos “empoderar” mais os profissionais de saúde, usando a máquina e não sendo usados por ela”.

Para o eurodeputado, quando se fala em transformação digital é importante perceber quem é que vai estar ao comando. “Se as pessoas, os profissionais de saúde e as instituições estiverem ao comando deste novo ecossistema – baseado na biologia, física quântica e tecnologia – é uma grande oportunidade. É evidente que se formos controlados pelos sistemas, estes ficarão em roda livre ou controlados por quem não tem esse interesse ético. Portanto, temos de ser nós a estar no comando.”

Sobre o caminho que está a ser feito pela União Europeia no que toca a esta matéria, garantiu que “é um caminho muito focado nas pessoas e na regulação. Muito recentemente foram definidas leis digitais, nomeadamente a nível da Inteligência Artificial, dos mercados digitais e do espaço europeu de dados em saúde. Em todas estas áreas, a regulação europeia é muito focada no data deal. Isto é, as pessoas cedem voluntariamente os seus dados, recebendo algo em contrapartida, como é o caso de cuidados de saúde com mais qualidade e mais acessíveis.”

Apesar de admitir que a transformação digital traz grandes oportunidades para a saúde das populações, Carlos Zorrinho reconhece que a humanização dos cuidados de saúde pode estar em causa.

“A humanização pode estar em causa, dependendo das decisões que tomarmos… Se são políticas, técnicas ou baseadas na evidência. É por isso que vai ser preciso refletir sobre a forma como vão ser utilizadas estas ferramentas por parte dos profissionais de saúde no momento da decisão. É evidente que um especialista, confrontado com um diagnóstico, feito por uma aplicação com muitos dados, pode dar o toque humano. No entanto, esse toque humano terá que ter um nível de consentimento”, enfatizou.

HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Relatório de saúde STADA 2024: sistemas de saúde na Europa precisam de reformas urgentes

Os sistemas de saúde europeus estão em crise e necessitam de uma reforma urgente, revela o Relatório de Saúde da STADA 2024. Este inquérito representativo, que envolveu cerca de 46.000 entrevistados em 23 países europeus, destaca que os sistemas de saúde não conseguem atender adequadamente às necessidades de muitos europeus, levando-os a assumir a responsabilidade pela sua própria saúde.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights