Corporações de bombeiros de Viseu com quebras de 70% nas receitas

16 de Abril 2020

O vice-presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Viseu manifestou hoje à agência Lusa a preocupação que existe sobre a saúde financeira de associações no distrito, que têm quebras nas receitas e na faturação acima de 70%

“Como está tudo parado nos transportes não urgentes, tudo o que não seja prioritário, como a hemodiálise e oncologia, parou. Isso revela uma redução drástica na receita e na faturação acima dos 70%, o que, a curto prazo, vai ter um efeito considerável na situação financeira das associações”, alertou Guilherme Almeida.

Este responsável, que é também comandante dos Bombeiros Voluntários de Nelas, lembrou que a “saúde financeira das associações de bombeiros depende, praticamente, da receita de transportes de doentes não urgentes”.

Guilherme Almeida disse que “há associações que, antes da pandemia, já tinham uma saúde financeira muito má” e, agora, com esta redução de receitas, “só vai agravar ainda mais o estado de saúde”.

“Já vivemos no fio da navalha com o dinheiro contado e as despesas mantém-se, e vão manter-se, e este impacto nas receitas vai lançar aqui um balanço negativo, que vai criar muitos problemas”, alertou.

A Federação de Bombeiros do Distrito de Viseu “tem feito alguma pressão junto da confederação e da liga dos bombeiros para que os responsáveis questionem o Governo sobre mecanismos que possam ajudar”.

O objetivo “é garantir a operacionalidade e continuidade” das corporações de bombeiros, mas, “infelizmente e até à data não tem havido muito ‘feedback’” a essa pressão”.

A agravar esta situação, Guilherme Almeida disse que “há associações a investirem na segurança dos operacionais” e, para isso, “têm comprado equipamento com valores completamente desajustados daquilo que é a realidade, porque há uma grande especulação de preços”.

“Andamos aqui um pouco a viver o dia-a-dia na disponibilidade que caracterizam os bombeiros e os corpos de bombeiros, mas com muitas preocupações”, lamentou Guilherme Almeida.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

OMS lança iniciativa SPECS 2030

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de lançar a iniciativa SPECS 2030, inserida na Global SPECS Network que tem como principal objetivo unir uma rede global de participantes para atingir a meta global do erro refrativo para 2030, que consiste no aumento de 40% na cobertura efetiva desta patologia.

Os enfermeiros (também) são cientistas

Lara Cunha: Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Research Fellow na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights