Portugal tem taxa de ocupação dos cuidados intensivos de 54% – Governo

20 de Abril 2020

Lisboa, 20 abr 2020 (Lusa) – Portugal regista uma taxa de ocupação nos cuidados intensivos de 54%, anunciou hoje o secretário de Estado da Saúde, avançando que 66 ventiladores que chegaram a Portugal no domingo vão ser “de imediato” distribuídos por todo o país [...]

Lisboa, 20 abr 2020 (Lusa) – Portugal regista uma taxa de ocupação nos cuidados intensivos de 54%, anunciou hoje o secretário de Estado da Saúde, avançando que 66 ventiladores que chegaram a Portugal no domingo vão ser “de imediato” distribuídos por todo o país.

Na conferência de imprensa diária realizada na Direção-Geral da Saúde (DGS) para divulgação do boletim epidemiológico da covid-19, António Lacerda Sales afirmou que chegaram no domingo a Portugal 66 ventiladores vindos da China e que vão ser “distribuídos de imediato por todo o país”.

Segundo o secretário de Estado, 40 ventiladores vão ficar na região Norte e Centro e os restantes 23 vão ser distribuídos por unidades de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve.

Esta repartição regional, explicou, é feita “de acordo com os critérios de distribuição definidos pela comissão de acompanhamento da resposta nacional em medicina intensiva”, que é sempre feita com equidade.

O governante disse também que 63 dos ventiladores foram adquiridos pela administração central dos sistemas de saúde e os outros três pelas autarquias.

“Portugal regista uma taxa de ocupação em unidade de cuidados intensivos de 54%”, vincou o secretário de Estado.

Estes 66 ventiladores fazem parte dos 508 que Portugal comprou à China para reforçar a capacidade do Serviço Nacional de Saúde em cuidados intensivos.

Segundo os dados divulgados hoje pela DGS, Portugal regista 735 mortos associados à covid-19, mais 21 do que no domingo, e 20.863 infetados (mais 657).

Do total das pessoas infetadas, a grande maioria está a recuperar em casa, totalizando 19.655, mais 692 relativamente a domingo (3,6%).

Os dados adiantam que 1.208 estão internadas, menos 35 que no sábado (-2,8%), e 215 estão em Unidades de Cuidados Intensivos, menos nove, o que representa uma diminuição de 4%.

CMP // JMR

Lusa/fim

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

49% das deslocações forçadas no mundo ocorrem em África

Conflitos, alterações climáticas, pobreza extrema e insegurança alimentar fazem disparar deslocações forçadas no continente africano e irão obrigar mais de 65 milhões de pessoas a fugir das suas casas até ao final de 2024. Subfinanciamento surge como principal ameaça à ajuda humanitária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights