Cidadão turco retirado da Suécia para receber tratamento na Turquia

27 de Abril 2020

Ancara, 27 abr 2020 (Lusa) – A Turquia enviou uma ambulância aérea para a Suécia e repatriou um cidadão turco infetado pelo novo coronavírus que alegadamente não recebeu qualquer tratamento no país escandinavo.

Ancara, 27 abr 2020 (Lusa) – A Turquia enviou uma ambulância aérea para a Suécia e repatriou um cidadão turco infetado pelo novo coronavírus que alegadamente não recebeu qualquer tratamento no país escandinavo.

Emrullah Gulusken, 47 anos, foi retirado da sua casa em Malmo no domingo, após a sua filha, Leila, ter pedido ajuda através dos media sociais.

Na mensagem, referiu que o seu pai foi enviado para casa apesar do agravamento do seu estado de saúde, indicou a agência estatal turca Anadolu.

Gulusken e os seus três filhos foram transportados para Ancara, onde se encontram hospitalizados, precisou a Anadolu. As autoridades suecas não comentaram este caso.

“Querida Leila, escutámos a tua voz… A nossa ambulância aérea descola às 06:00 e vamos a caminho da Suécia”, referiu na manhã de domingo, através de mensagem Twitter, o ministro da Saúde, Fahrettin Koca. “O nosso hospital, os nossos médicos, já aguardam [a chegada] de teu pai”.

Desde o início do surto da pandemia da covid-19, em março, a Turquia repatriou cerca de 40.000 cidadãos de 75 países, segundo os números do ministério dos Negócios Estrangeiros.

O país regista oficialmente um total de 2.805 mortes e 110.130 infeções confirmadas.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, a Turquia é o sétimo país do mundo com mais infeções confirmadas, mas diversos especialistas admitem que o número global é superior ao anunciado pelo Governo, à semelhança do que sucede em muitos outros países.

Na Turquia, foram testadas até ao momento cerca de 890.000 pessoas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 206 mil mortos e infetou quase três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Perto de 810 mil doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (54.877) e mais casos de infeção confirmados (cerca de 965 mil).

Seguem-se Itália (26.644 mortos, mais de 197 mil casos), Espanha (23.521 mortos, mais de 209 mil casos), França (22.856 mortos, cerca de 162 mil casos) e Reino Unido (20.732 mortos, perto de 153 mil casos).

Por regiões, a Europa soma mais de 124 mil mortos (mais de 1,3 milhões de casos), Estados Unidos e Canadá mais de 57 mil mortos (mais de um milhão de casos), Ásia mais de 8.000 mortos (mais de 204 mil casos), América Latina e Caribe mais de 8.000 mortos (quase 170 mil casos), Médio Oriente quase 6.400 mortos (mais de 156 mil casos), África mais de 1.400 mortos (quase 32 mil casos) e Oceânia 109 mortos (mais de oito mil casos).

Lusa/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Obesidade e Cancro: Investir em saúde, para poupar na doença

Prof. Dr. Gil Faria: Cirurgião especialista em Cirurgia da Obesidade e Metabolismo; Coordenador dos Centros de Tratamento da Obesidade do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e do Grupo Trofa Saúde; Professor da FMUP; Investigador clínico na área da Cirurgia Metabólica e Obesidade

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights