Portugal tem mais de 620 camas de cuidados intensivos

5 de Maio 2020

A ministra da Saúde revelou hoje que Portugal tem atualmente mais de 620 camas de cuidados intensivos tipo 3 e apontou a abertura de uma nova unidade em Matosinhos como “mais um passo” para a média europeia.

“Temos cerca de 620 camas de cuidados intensivos tipo 3. E depois temos unidades de cuidados intensivos pediátricos, neonatais, de queimados. Portanto, camas gerais de cuidados intensivos ultrapassam já as 620”, afirmou Marta Temido, em declarações aos jornalistas em Matosinhos, distrito do Porto, à margem da inauguração das novas instalações, que decorreu em plena pandemia de covid-19.

Do total de 25.702 infetados com covid-19 registados em Portugal, 818 estão hospitalizadas, das quais 134 em unidades de cuidados intensivos.

Referindo-se à nova unidade de cuidados intensivos do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, hoje inaugurada com capacidade para 11 camas e construída em 20 dias, a ministra disse ser mais uma resposta para aproximar Portugal da média europeia de “mais de 11 camas por cada cem mil habitantes”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Aumento de episódios de doença revela receios no acesso aos cuidados de saúde

Advertisement

Depois de uma década em evolução, o acesso dos cidadãos aos cuidados de saúde em Portugal revela um decréscimo. Os dados fazem parte do relatório “Acesso a cuidados de saúde, 2022 – As escolhas dos cidadãos no pós-pandemia”, apresentado hoje no auditório BPI All in One, em Lisboa.

Farmácia de Amares lesou o SNS em mais de 15 mil euros

Advertisement

O Tribunal de Braga concluiu que uma farmácia de Amares lesou o Serviço Nacional de Saúde (SNS) em mais de 15 mil euros, recebendo comparticipações por medicamentos que não vendeu, mas não conseguiu identificar o(s) autor(es) do plano criminoso.

Governo quer aumentar em 50% camas de cuidados continuados

Advertisement

O ministro da Saúde manifestou hoje a “ambição enorme” de aumentar em mais de 50% as camas de cuidados continuados até 2025, mas explicou que para isso será necessário o apoio do setor social e solidário.

MAIS LIDAS

Share This