Cérebro infantil não é igual ao de um adulto em ponto pequeno

7 de Maio 2020

Um estudo da Universidade de Jyväskylä, na Finlândia mostra que o cérebro de crianças tem características especiais que não são encontradas no cérebro de adultos

A infância e a juventude são etapas especiais, pois as redes neurais são especialmente adaptáveis e respondem bem à interação ambiental.

O desenvolvimento do cérebro é frequentemente concebido como uma série de mudanças graduais em direção à idade adulta. Pensa-se que, de certa forma, o cérebro das crianças simplesmente ganha elementos adicionais ao atingir um determinado nível de amadurecimento de funções.

Mas esta conceção sobre o desenvolvimento do cérebro não está de acordo com as descobertas mais recentes. Um estudo da Universidade de Jyväskylä mostra que os cérebros das crianças não são de forma alguma apenas cérebros adultos menores e incompletos.

A investigadora sénior Tiina Parviainen e o seu grupo de pesquisa encontraram um padrão de ativação específico no cérebro das crianças, que se desvia claramente do cérebro adulto. Essa ativação cerebral está relacionada com o estádio de desenvolvimento do cérebro, em particular, e parece desaparecer na idade adulta. Estas descobertas foram publicadas no jornal Human Brain Mapping.

Essa característica da função cerebral, própria das crianças, surge em resposta a estímulos sensoriais muito simples, refletindo provavelmente uma rede neural estruturalmente diferente no cérebro infantil. Essa interpretação também é apoiada pelas descobertas recentes do grupo de investigação do professor Takao Hensch, nos Estados Unidos.

Focando-se no desenvolvimento ao nível celular e da rede, mostram que existem “janelas de plasticidade” no desenvolvimento cerebral e que as propriedades bioquímicas do cérebro são especialmente favoráveis à formação de conexões entre os neurónios.

O grupo de pesquisa de Parviainen investiga o papel subjacente da ativação cerebral especial das crianças para o desenvolvimento cognitivo. O estudante de doutoramento Sam van Bijnen, membro do grupo de investigação, estudou as características dessa ativação em crianças com distúrbios linguísticos. E verificou que apresentam uma resposta neural excecionalmente forte, mas apenas no hemisfério esquerdo, especializado no processamento de idiomas.

O hemisfério esquerdo também parece reter os recursos “imaturos” típicos do cérebro das crianças por mais tempo do que o equivalente direito. Estes resultados são consistentes com o conhecido papel do hemisfério esquerdo no processamento da linguagem.

Na idade adulta, o processamento das características específicas de cada sistema de linguagem depende principalmente do funcionamento do hemisfério esquerdo. Portanto, pode ser importante manter essas redes neurais flexíveis e sensíveis à influência ambiental durante o desenvolvimento; isso permite que o cérebro se adapte com sucesso ao ambiente específico da linguagem.

O grupo de Parviainen continua o estudo das características especiais do desenvolvimento cerebral em colaboração com o de Hensch. Estas descobertas são também muito significativas no que diz respeito à compreensão do funcionamento do cérebro adulto, pois a rede cerebral que apoia o comportamento humano durante toda a vida útil é c/HNonstruída na infância.

AlphaGalileo/AO

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Obesidade e Cancro: Investir em saúde, para poupar na doença

Prof. Dr. Gil Faria: Cirurgião especialista em Cirurgia da Obesidade e Metabolismo; Coordenador dos Centros de Tratamento da Obesidade do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e do Grupo Trofa Saúde; Professor da FMUP; Investigador clínico na área da Cirurgia Metabólica e Obesidade

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights