Bangladesh contrói hospital de campanha em três semanas face ao aumento de casos

14 de Maio 2020

O Bangladesh construiu um grande hospital de campanha em três semanas para acomodar pacientes infetados com a covid-19, no momento em que cresce o número de casos no país asiático.

Sob confinamento obrigatório, o Bangladesh registou desde o início da pandemia 269 mortos e quase 18 mil casos. Contudo, os especialistas acreditam que esses números são apenas parciais, devido a uma baixa taxa de deteção.

Atualmente, apenas alguns hospitais públicos do Bangladesh estão a tratar pacientes da covid-19.

As autoridades esperam que o novo hospital de campanha na capital, Daca, com uma capacidade inicial de 2.084 camas, ajude a reduzir a pressão sobre o sistema de saúde.

Se a epidemia piorar significativamente, o hospital de campanha pode mais do que duplicar a sua capacidade, se necessário, até cinco mil camas.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 296 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

UC integra estudo mundial sobre aumento da obesidade

Mais de um bilião de pessoas vivem atualmente com obesidade no mundo, segundo um estudo internacional em que participaram investigadores da Universidade de Coimbra (UC), divulgou a instituição.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights