Unidade Local de Saúde da Guarda realizou nove mil testes

21 de Maio 2020

O Laboratório de Patologia Clínica da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda realizou cerca de nove mil testes de diagnóstico desde o início da pandemia causada pela covid-19, foi hoje anunciado.

“Nós, desde o início, já processámos aproximadamente nove mil amostras” de pessoas da área de abrangência da ULS da Guarda e de outros centros hospitalares da zona Centro (Castelo Branco, Covilhã, Viseu e Aveiro), disse hoje à agência Lusa a diretora Fátima Vale.

Segundo a responsável pelo Laboratório de Patologia Clínica da ULS/Guarda, a capacidade de resposta do serviço é de 300 amostras diárias.

“Neste momento, as coisas estão mais calmas e estamos a processar muito menos amostras. A nível nacional, as coisas estão um bocadinho mais calmas e a necessidade de testes está a ser menor. E, neste momento, praticamente só estamos a fazer amostras do distrito da Guarda”, relatou.

O laboratório também está a efetuar, desde o dia 07 de maio, exames serológicos ao novo coronavírus.

Fátima Vale referiu que o Laboratório de Patologia Clínica funciona diariamente com um quadro de 22 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, cinco técnicos superiores de saúde e três especialistas.

A ULS da Guarda (que abrange 13 concelhos do distrito da Guarda, exceto o de Aguiar da Beira, que pertence ao Agrupamento de Centros de Saúde do Dão – Lafões), gere os hospitais da Guarda (Sousa Martins) e de Seia (Nossa Senhora da Assunção), e também 12 centros de saúde e duas unidades de saúde familiar (A Ribeirinha, na cidade da Guarda e a “Mimar Mêda”, na cidade de Mêda), abrangendo cerca de 142 mil habitantes.

Para dar resposta à pandemia no território de abrangência, a ULS colocou em funcionamento duas unidades móveis para realização de rastreios, dois centros em regime de “Drive Thru” (um no quartel dos Bombeiros da Guarda e outro na Associação Empresarial NERGA) e quatro ADC – Áreas Dedicadas Covid (Gouveia, Trancoso, Pinhel e Guarda, tendo esta última sido desativada no dia 18 de maio).

“Até ao momento, temos cerca de dois mil testes efetuados”, disse à Lusa Bruno Macedo, enfermeiro adjunto da ULS responsável pelas unidades móveis e pelos centros de atendimento covid.

As equipas de rastreio iniciaram funções em abril e surgiram para dar resposta à comunidade nas ADC e em instituições de apoio a idosos, para situações identificadas pela Saúde Pública e pelo Serviço Nacional de Saúde.

A iniciativa revelou-se “bastante importante” no combate à pandemia, segundo o responsável.

“Tudo isto fez com que nós conseguíssemos dar resposta, muito atempadamente, a todas as situações. E quanto mais precocemente nós conseguimos identificar casos positivos, mais rapidamente há contactos, há seguimento, há depois a intervenção por parte da Saúde Púbica, há o isolamento profilático”, justificou.

Na região da Guarda “há uma redução substancial” de casos, mas as equipas, asseguradas por enfermeiros, mantêm-se ativas, estando diariamente no terreno uma móvel e outra fixa.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights