Governo estuda recorrer a técnicos das escolas que trabalham na área da saúde pública

31 de Maio 2020

O Governo está a estudar a possibilidade de recorrer aos profissionais e técnicos das escolas que trabalham na área da saúde pública em Lisboa, para ajudar a combater a pandemia naquela região, afirmou hoje a ministra.

“Não está fora de hipótese a circunstância de recorrermos às próprias escolas que trabalham na saúde pública, que têm competências e profissionais e técnicos altamente capacitados para poderem ajudar neste trabalho”, disse a ministra quando questionada sobre uma eventual falta de especialistas de saúde pública na Grande Lisboa.

Na conferência de imprensa diária de balanço sobre a pandemia em Portugal, a ministra adiantou que “a região [de Lisboa e Vale do Tejo] tem 99 especialistas de saúde pública e depois um conjunto de outros recursos”, salientando que a resposta poderá também passar por alocar profissionais de saúde pública de outros pontos da região menos sobrecarregados para os concelhos mais afetados pela covid-19.

Marta Temido vincou que há ainda “a disponibilidade de profissionais de saúde pública de outras áreas do país”, num trabalho que está a ser articulado com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Portugal regista hoje 1.410 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que no sábado, e 32.500 infetados, mais 297, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights