Cabo Verde regista quinta morte

2 de Junho 2020

Cabo Verde registou hoje a quinta morte por causa do novo coronavírus, uma mulher de 65 anos que há vários dias estava internada em estado crítico, tornando-se no quarto óbito só na cidade da Praia, segundo informação oficial.

Fonte do Governo cabo-verdiano disse à agência Lusa que a mulher faleceu durante a madrugada no Hospital Agostinho Neto, na Praia, onde estava internada há vários dias.

A primeira vítima mortal, que foi também o primeiro caso de covid-19 diagnosticado no país, registou-se na ilha da Boa Vista, um turista inglês de 62 anos.

Seguiram-se mais três casos na Praia, uma mulher de 92 anos, um homem de 65 anos e uma mulher de 55 anos, todos igualmente com outros problemas de saúde associados.

Segundo os dados atualizados pelas autoridades de saúde, desde 19 de março Cabo Verde registou um acumulado de 458 casos de covid-19, distribuídos pelas ilhas de Santiago (397), Boa Vista (56), São Vicente (04) e Sal (01).

Do total, registaram-se cinco óbitos, dois doentes foram transferidos e 211 são considerados curados da doença, fazendo com que o país tenha neste momento 240 doentes internados nos isolamentos institucionais.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 373 mil mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.339 casos e oito mortos), seguida da Guiné Equatorial (1.306 casos e 12 mortos), São Tomé e Príncipe (484 casos e 12 mortos), Cabo Verde (458 casos e cinco mortes), Moçambique (254 casos e dois mortos) e Angola (86 infetados e quatro mortos).

Cerca de 2,6 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Investigadores conseguem mapear comunicação do cancro do pâncreas

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto conseguiram, através de um “espião colorido”, mapear a comunicação do cancro do pâncreas, abrindo portas para novas terapias, foi esta quinta-feira anunciado.

Estudo propõe critérios para atualização periódica do pagamento da hemodiálise

O estudo “Preço compreensivo da hemodiálise em Portugal”, do especialista em economia da saúde Eduardo Costa, conclui que a introdução de um modelo dinâmico de preço compreensivo e a eventual revisão do modelo de gestão integrada da doença renal crónica serão instrumentos cruciais para garantir a continuidade da excelência dos cuidados de hemodiálise.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights