Sabor e odor da água: alertas precoces de possíveis problemas?

3 de Junho 2020

A pandemia de Covid-19 mostrou que a saúde pública pode ser ameaçada por “inimigos ocultos”, como vírus que não podem ser detetados pelos nossos sentidos. Por outro lado, estamos equipados […]

A pandemia de Covid-19 mostrou que a saúde pública pode ser ameaçada por “inimigos ocultos”, como vírus que não podem ser detetados pelos nossos sentidos. Por outro lado, estamos equipados com o melhor sensor químico do planeta: o nosso nariz. Mas será que podemos confiar no nosso nariz para detetar problemas de qualidade da água?

Especialistas de toda a Europa investigam a forma como a poluição ambiental e as mudanças climáticas aceleram as mudanças de sabor e de odor das reservas naturais e dos sistemas de fornecimento de água. O tratamento inadequado da água e/ou os materiais dos sistemas de distribuição podem causar problemas e fazer com que as pessoas tenham relutância em beber a água da torneira.

Compreender as causas, a natureza química do sabor e do odor da água, as formas de deteção e de tratamento, são etapas necessárias para um alerta precoce sobre eventuais problemas da qualidade da água potável, a proteção dos recursos hídricos e a saúde humana.

A “network” WaterTOP (patrocinada pela European Cooperation in Science and Technology – COST) visa aumentar as capacidades dos países europeus na identificação, avaliação dos riscos, alertas precoces e controlo dos problemas associados à agua. Em causa está a transferência de conhecimento no sentido de desenvolver e implementar técnicas específicas, tais como, por exemplo, a Análise de Perfil de Sabor (FPA), tecnologias baseadas em espectroscopia de massa por cromatografia gasosa (GCxGC, GC-O-MS e GC-HRMS ) ou métodos de ensaios de diluição de isótopos estáveis.

A WaterTOP visa maximizar o seu impacto através da preparação de várias ferramentas úteis e da colaboração entre os diferentes países para melhorar as políticas de água na União Europeia. Nesse sentido, vai desenvolver um novo banco de dados aberto e uma ferramenta eletrónica exclusiva para auxiliar os laboratórios na deteção, interpretação e avaliação dos resultados.

A WaterTOP irá ainda sugerir medidas preventivas e de correção dos problemas, bem como contribuir para o desenvolvimento, nomeadamente, de Planos de Segurança da Água. Seguindo as metas do “Acordo Verde” da UE, esta “network”pan-europeia pretende ter um impacto positivo na confiança das pessoas em relação à água da torneira, promovendo desse modo a redução da utilização de garrafas de plástico.

NR/HN/Adelaide Oliveira

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights