Sindicato da Enfermagem junta-se a movimento em defesa do Hospital dos Covões

8 de Junho 2020

O Sindicato Independente Profissionais Enfermagem (SIPEnf) solidarizou-se hoje com a luta dos utentes e profissionais contra o encerramento de valências e a “perda de identidade” da urgência do Hospital dos Covões, em Coimbra.

“Estamos preocupados com a qualidade dos cuidados de saúde e com as condições de trabalho dos profissionais”, disse à agência Lusa o presidente do sindicato, Fernando Mendes Parreira.

Em comunicado, o SIPEnf manifesta “apreensão e solidariedade para com os utentes e enfermeiros” do Hospital Geral, na margem sul do rio Mondego, mais conhecido por Hospital dos Covões.

Rejeitando a “perda de identidade” da urgência da unidade, integrada há alguns anos no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), o sindicato alerta que a alteração do seu funcionamento, passando a “nível básico” no dia 01 de julho, “diminuirá a oferta de cuidados diferenciados de saúde à população”.

“A resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS) à pandemia em Coimbra centrou-se no Hospital dos Covões, com o esforço dos seus profissionais, em particular enfermeiros, que dia após dia se apresentaram na conhecida ‘linha da frente’ para dar resposta a este exigente desafio, mediante prestação de cuidados de saúde de qualidade”, enfatiza o SIPEnf.

Na terça-feira, às 10:30, segundo Fernando Mendes Parreira, esta é uma das organizações que participam num “cordão solidário” de apoio aos profissionais e utentes, em que cidadãos e diversas entidades manifestarão desagrado por decisões para aquele hospital tomadas pela administração do CHUC, presidida pelo professor de Medicina Fernando Regateiro.

“Estaremos atentos a todas as situações que possam causar obstáculos ao desempenho laboral de excelência dos enfermeiros e salvaguarda dos seus direitos”, refere na nota o Sindicato Independente Profissionais Enfermagem.

Uma petição ‘online’, entretanto encerrada, reuniu mais de 4.550 assinaturas até domingo.

No “cordão solidário”, nos Covões, vão estar representados o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, o Sindicato dos Médicos da Zona Centro, o Sindicato dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica, o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, o Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Atividades Diversas, o Sindicato da Hotelaria do Centro e a União dos Sindicatos de Coimbra.

A Ordem dos Médicos e o Movimento dos Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) associam-se igualmente à iniciativa, durante a qual será repudiada “mais esta decisão de ataque visível ao SNS”, que teve como principal impulsionador, em 1979, o histórico socialista de Coimbra António Arnaut, que morreu há dois anos, em 21 de maio de 2018.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

UC integra estudo mundial sobre aumento da obesidade

Mais de um bilião de pessoas vivem atualmente com obesidade no mundo, segundo um estudo internacional em que participaram investigadores da Universidade de Coimbra (UC), divulgou a instituição.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights