Menopausa reduz massa muscular, mas pode ser contrariada com exercício físico

9 de Junho 2020

Mulheres mais ativas tinham uma massa muscular superior antes e depois da menopausa, quando em comparação com as mulheres menos ativas no estudo

Um estudo de grande escala direcionado a mulheres de meia-idade concluiu que mudanças relacionadas com a idade nos músculos esqueléticos fazem parte do quotidiano das mulheres com cerca de 50 anos. Por volta desta idade, a mulher faz a transição da paramenopausa para o pós-menopausa e cessa a produção de estrogénio. É a perda de estrogénio que tem efeito sobre os músculos e leva ao declínio da massa muscular, mas a atividade física, sob praticamente todas as formas, pode ajudar a mante-la.

“Já sabíamos que o estrogénio desempenha um papel na regularização das propriedades musculares”, diz a estudante de doutoramento Hanna-Kaarina Juppi. “Ao seguir o estado hormonal, medindo muitos dos aspetos dos músculos e ao ter em consideração o envelhecimento cronológico e simultâneo de mulheres que estão a passar pela transição da menopausa fomos capazes de mostrar que o declínio da massa muscular toma lugar durante a fase inicial da menopausa”.

Neste estudo, o tamanho muscular foi medido no estado da paramenopausa e imediatamente após a entrada na pós-menopausa – quando a menstruação pára permanentemente. As mulheres tinham em média 51 anos e seis meses no início do estudo e 53 no final, pelo que é possível concluir que a duração média da transição da menopausa é de um ano e meio. Ainda que o tempo de cada mulher seja único: neste estudo variou entre menos de seis meses até mais de três anos. Durante este tempo, a diminuição de massa muscular era em média um porcento.

“ A mudança observada não parece grande coisa, mas o que é significativo é que o declínio dá-se num curto período de tempo e pode ter impacto no metabolismo”, explica Juppi.

A atividade física foi dada como positivamente associada à manutenção de massa muscular durante a transição da menopausa. Mulheres mais ativas tinham uma massa muscular superior antes e depois da menopausa, quando em comparação com as mulheres menos ativas no estudo. Parece que mesmo que a menopausa por si só seja capaz de diminuir a massa muscular, manter-se fisicamente ativa pela meia-idade pode ajudar as mulheres a abrandar a mudança.

Este estudo foi conduzido no Centro de Investigação Gerontológica da Faculdade de Ciências do Desporto e da Saúde, e faz parte de um estudo maior, o ERMA – Regulação da Apoptose Muscular com Estrogénio -, conduzido por Eija Laakkonen. Mais de um milhar de mulheres com idades compreendidas entre os 47 e os 55 anos da região de Jyväskylä, na Finlândia, participaram no estudo maior. No início, 381 estavam em estado de paramenopausa, enquanto 234 chegaram à pós-menopausa durante o estudo de forma prematura. A investigação foi financiada pela Academia da Finlândia e pela Comissão europeia.

Aceder ao artigo original Aqui

HN/NR/João Daniel Ruas Marques

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

UC integra estudo mundial sobre aumento da obesidade

Mais de um bilião de pessoas vivem atualmente com obesidade no mundo, segundo um estudo internacional em que participaram investigadores da Universidade de Coimbra (UC), divulgou a instituição.

Quinze ULS terão equipas dedicadas na área da Saúde Mental

Os primeiros Centros de Responsabilidade Integrados dedicados à Saúde Mental vão arrancar em 15 Unidades Locais de Saúde, numa primeira fase em projeto-piloto e durante 10 meses, segundo uma portaria publicada em Diário da República.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights