Cruz Vermelha de Bragança leva apoio a doentes e cuidadores mais isolados

25 de Janeiro 2021

A delegação de Bragança da Cruz de Vermelha criou uma resposta para aqueles que se encontram mais isolados pelas condicionantes da pandemia de Covid-19, nomeadamente doentes crónicos e cuidadores informais, divulgou hoje a direção.

Um mês depois de assumir funções, o novo presidente da delegação que serve o concelho de Bragança, Duarte Soares, constatou que “há desafios demográficos que já existiam, mas esta pandemia está a criar consequências sérias”.

A instituição presta assistência variada a um número “entre 350 a 400 pessoas” e tem notado que há agora um “maior isolamento das pessoas em vulnerabilidade, maior afastamento dos que garantem assistência e maior risco de pobreza”.

Nestes grupos mais vulneráveis encontram-se os que têm doenças crónicas a necessitar de acompanhamento permanente, os cuidadores informais e os estudantes de países não europeus.

A pensar nestes estudantes e outros cidadãos que escolhem Bragança como destino e que possam encontrar dificuldades, a Cruz Vermelha tem um projeto para criar um centro de acolhimento para migrantes, que irá negociar com o Alto Comissariado para as Migrações.

Uma das preocupações imediatas tem a ver com a população que se encontra com doença avançada e necessita de apoio ao domicílio, bens alimentares, mecanismos e equipamentos para cuidar.

A Cruz Vermelha tem encontrado também necessidades nos cuidadores informais destas pessoas aos quais disponibiliza apoio para capacitação e formação dos mesmos, assim como ao nível da saúde mental.

O presidente da delegação, Duarte Soares, salientou à Lusa que a instituição não pretende substituir-se às entidades que atuam nesta área, mas “criar uma plataforma que respondam às necessidades imediatas e que demoram” algum tempo a ter resposta oficial.

Para dar estas respostas, a delegação de Bragança dispõe de um grupo de 66 voluntários e propõe-se trabalhar em parceria com o Politécnico de Bragança, aproveitando o potencial da formação na área da saúde.

A instituição está a disponibilizar outras respostas no combate à pandemia de Covid-19, concretamente no rastreio de contágios, com uma equipa móvel de intervenção para testes, que começou hoje a trabalhar.

Esta equipa constituída por três elementos desloca-se ao local para realizar os testes, nomeadamente a instituições sociais ou juntas de freguesias, um serviço que é gratuito quando realizado em parceria com o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A equipa tem já agendada uma saída para testar a população da freguesia de Grijó de Parada, no concelho de Bragança.

A instituição disponibiliza a realização de testes a toda a população e empresas também num posto fixo, na sede em Bragança.

Numa semana, foram realizados “centena e meia de testes”, nomeadamente a pedido de empresas que continuam a laborar e procuram desta forma “melhorar a tranquilidade” da respetiva comunidade.

O posto fixo também realiza testes gratuitos a quem tenha receita médica para o efeito, como explicou o presidente.

Nos rastreios realizados até à data, “10 a 15%” testaram positivo, resultados que são comunicados às autoridades locais de saúde.

Na última atualização oficial, relativa a sexta-feira, o distrito de Bragança tinha mais de 1.700 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, de um total de quase 8.200 desde o início da pandemia e 126 óbitos associados à Covid-19.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.129.368 mortos resultantes de mais de 99,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 10.721 pessoas dos 643.113 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

IPG acolhe polo do Centro de Envelhecimento Ativo

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai acolher um polo do Centro de Competências de Envelhecimento Ativo, que irá desenvolver atividades para criar melhores condições de vida aos idosos da região.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights