Cemitérios de Esposende encerrados no dia 01 de novembro

Cemitérios de Esposende encerrados no dia 01 de novembro

Em comunicado enviado à Lusa, aquela autarquia do distrito de Braga recomenda aos munícipes que façam a romagem aos cemitérios antes do Dia de Todos os Santos (01 de novembro).

A C√Ęmara de Esposende salienta que, nas visitas aos cemit√©rios, devem ser “respeitadas as regras vigentes, nomeadamente o uso obrigat√≥rio de m√°scara, o distanciamento social e todas as regras de higieniza√ß√£o‚ÄĚ.

Recomenda ainda “fortemente” o “uso de material pr√≥prio (vassouras, baldes), n√£o devendo haver partilha em qualquer circunst√Ęncia”.

“O munic√≠pio lamenta que a celebra√ß√£o tradicional n√£o possa ser cumprida, mas trata-se de um bem maior, em que tem de ser evitada toda e qualquer possibilidade de aglomera√ß√£o de pessoas, no interior ou nos acessos aos espa√ßos”, l√™-se.

O encerramento dos cemit√©rios em 01 de novembro, explica o texto, √© uma decis√£o tomada “em conson√Ęncia com as recomenda√ß√Ķes das autoridades de sa√ļde e em estreita articula√ß√£o com a Unidade de Sa√ļde P√ļblica local” para combater a pandemia causada pelo novo coronav√≠rus.

No texto, √© ainda apontado que, “por determina√ß√£o da Arquidiocese de Braga, n√£o ocorrer√° qualquer celebra√ß√£o religiosa no espa√ßo dos cemit√©rios, nos dias 01 e 02 de novembro”.

A pandemia de Covid-19 j√° provocou mais de 1,1 milh√Ķes de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.245 em Portugal.

LUSA/HN

PSD questiona Governo por falhas na campanha de vacinação

PSD questiona Governo por falhas na campanha de vacinação

Em comunicado enviado √†s reda√ß√Ķes, os sociais-democratas interrogam o Governo sobre o n√ļmero exato de vacinas contra a gripe adquiridas para a campanha, se os 2,5 milh√Ķes de doses anunciadas ‚Äús√£o suficientes para vacinar todas as pessoas que o queiram fazer‚ÄĚ e por que raz√£o n√£o se foi mais al√©m na disponibiliza√ß√£o de vacinas, face aos ‚Äú2,3 milh√Ķes de idosos e cerca de dois milh√Ķes de doentes cr√≥nicos com idade inferior a 65 anos‚ÄĚ.

Paralelamente, o grupo parlamentar do PSD pede ao executivo para esclarecer quantas doses de vacinas ‚Äúest√£o atualmente dispon√≠veis no Servi√ßo Nacional de Sa√ļde (SNS) e nas farm√°cias comunit√°rias‚ÄĚ, denunciando que milhares de utentes do SNS est√£o a desesperar ‚Äúem intermin√°veis filas √† porta‚ÄĚ dos centros de sa√ļde.

Sem resposta para o principal partido da oposi√ß√£o est√° tamb√©m a quest√£o sobre a raz√£o para o Minist√©rio da Sa√ļde n√£o refor√ßar a quantidade de vacinas para a gripe dispon√≠veis para as farm√°cias comunit√°rias.

Os deputados do PSD desafiam ainda o Governo a assegurar que n√£o v√£o faltar vacinas nos centros de sa√ļde e nas farm√°cias comunit√°rias, al√©m de pedir a confirma√ß√£o de que ‚Äúat√© √† primeira semana de dezembro‚ÄĚ todos os utentes do SNS que queiram levar a vacina para a gripe o possam fazer.

Sublinhando que j√° em julho havia questionado o executivo sobre a prepara√ß√£o da campanha de vacina√ß√£o para a gripe e que n√£o obteve resposta, o grupo parlamentar do PSD defende que ‚Äún√£o s√≥ n√£o est√£o a ser distribu√≠das suficientes vacinas contra a gripe, como a sua disponibiliza√ß√£o est√° a registar graves falhas, tanto nos centros de sa√ļde como nas pr√≥prias farm√°cias comunit√°rias‚ÄĚ, segundo a nota divulgada.

‚ÄúQuando o aumento da procura era h√° muito previs√≠vel, √© totalmente inaceit√°vel e prejudica as popula√ß√Ķes, agravando a ansiedade, o medo e, acima de tudo, a desprote√ß√£o sanit√°ria dos grupos mais fragilizados da sociedade‚ÄĚ, pode ler-se no comunicado, aludindo √† coincid√™ncia em 2020 da √©poca sazonal da gripe com a pandemia de Covid-19.

LUSA/HN

Utentes do Centro de Sa√ļde de Borba encaminhados para √Čvora e Vila Vi√ßosa

Utentes do Centro de Sa√ļde de Borba encaminhados para √Čvora e Vila Vi√ßosa

Em declara√ß√Ķes √† ag√™ncia Lusa, Maria do C√©u Canh√£o especificou que os utentes que necessitem de ‚Äúcuidados de enfermagem¬†podem deslocar-se ao Centro de Sa√ļde de Vila Vi√ßosa‚ÄĚ e que as ‚Äúsitua√ß√Ķes mais agudas‚ÄĚ ter√£o de ser atendidas no Hospital do Esp√≠rito Santo de √Čvora‚ÄĚ.

‚ÄúA partir de amanh√£ [s√°bado], reabre o Servi√ßo de Urg√™ncia B√°sica (SUB) e a √Ārea Dedicada √†s Doen√ßas Respirat√≥rias (ADR) de Estremoz, pelo que podem recorrer tamb√©m a essas unidades. Os casos de enfermagem tamb√©m podem continuar a recorrer ao centro de Vila Vi√ßosa‚ÄĚ, adiantou a respons√°vel.

O Centro de Sa√ļde de Borba, no distrito de √Čvora, est√° encerrado desde quinta-feira, depois de se confirmar que ‚Äúum assistente t√©cnico da Unidade de Sa√ļde Familiar (USF)‚ÄĚ daquela unidade est√° infetado com o novo coronav√≠rus que provoca a Covid-19.

‚ÄúTodos os outros profissionais da USF e da UCC [Unidade de Cuidados na Comunidade] estiveram em contacto com esse profissional e por determina√ß√£o da autoridade de sa√ļde o centro foi encerrado‚ÄĚ, explicou Maria do C√©u Canh√£o.

Neste momento, os 20 profissionais est√£o ‚Äútodos em isolamento‚ÄĚ enquanto aguardam pela decis√£o da autoridade de sa√ļde para serem testados.

O Centro de Sa√ļde de Borba vai ser descontaminado, estando j√° a ser encetados contactos nesse sentido, mas a¬†data de reabertura¬†vai depender da quarentena, uma vez que ficou sem profissionais dispon√≠veis para funcionar.

Tamb√©m em Borba, e no concelho vizinho de Vila Vi√ßosa, as escolas encerraram hoje at√© nova avalia√ß√£o, devido √† situa√ß√£o epidemiol√≥gica, por recomenda√ß√£o da Autoridade de Sa√ļde local e com a autoriza√ß√£o da diretora-geral da Sa√ļde, mas a diretora executiva do ACES rejeita que a situa√ß√£o esteja descontrolada.

‚ÄúN√£o est√°. As escolas fecharam por preven√ß√£o, enquanto est√° a decorrer a avalia√ß√£o epidemiol√≥gica, para n√£o haver transmiss√£o e controlar os surtos mais rapidamente‚ÄĚ, sustentou Maria do C√©u Canh√£o.

O vereador da C√Ęmara de Borba Quintino Cordeiro disse hoje aos jornalistas em confer√™ncia de imprensa, que existem no concelho 36 casos ativos de infe√ß√£o, de acordo com os dados mais recentes da Autoridade de Sa√ļde P√ļblica local, embora os dados da Dire√ß√£o-Geral da Sa√ļde indiquem 24.

Portugal contabiliza pelo menos 2.245 mortos associados √† covid-19 em 109.541 casos confirmados de infe√ß√£o, segundo o mais recente boletim da Dire√ß√£o-Geral da Sa√ļde, de quinta-feira.

LUSA/HN

Aprovado uso obrigatório de máscaras na rua

Aprovado uso obrigatório de máscaras na rua

O diploma do PSD, que teve como inspira√ß√£o uma proposta de lei do Governo entretanto ‚Äúdesagendada‚ÄĚ, foi votado na generalidade, especialidade e final global e, na √ļltima vota√ß√£o, teve votos contra da IL, absten√ß√Ķes de BE, PCP, Verdes e da deputada Joacine Katar Moreira, contando com voto favor√°vel das restantes bancadas. O deputado √ļnico do Chega esteve ausente da vota√ß√£o.

O PSD pediu a dispensa de reda√ß√£o final do diploma pelo que o texto dever√° seguir ainda hoje para an√°lise do Presidente da Rep√ļblica.

Na vota√ß√£o na especialidade foram aprovadas algumas altera√ß√Ķes ao texto do PSD: por proposta do PS, a medida vigorar√° por 70 dias (e n√£o por 90, como se previa na √ļltima vers√£o do projeto) e ser√° objeto de avalia√ß√£o quanto √† necessidade da sua renova√ß√£o no final desse per√≠odo.

O BE e PAN pretendiam incluir no diploma que a distribuição de máscaras fosse gratuita, mas as propostas foram chumbadas com voto contra do PS e abstenção pelo menos da bancada do PSD.

Estes partidos conseguiram, no entanto, incluir no projeto que seja feita uma campanha de sensibilização da população para o uso de máscara.

O BE conseguiu tamb√©m introduzir, no cap√≠tulo da fiscaliza√ß√£o, que o papel das for√ßas de seguran√ßa e pol√≠cias municipais seja ‚Äúprioritariamente‚ÄĚ de sensibiliza√ß√£o e pedagogia.

O diploma determina que √© obrigat√≥rio o uso de m√°scara – que n√£o pode ser substitu√≠da por viseira – aos maiores de dez anos para o acesso, circula√ß√£o ou perman√™ncia nos espa√ßos e vias p√ļblicas ‚Äúsempre que o distanciamento f√≠sico recomendado pelas autoridades de sa√ļde se mostre impratic√°vel‚ÄĚ.

Pode haver dispensa desta obrigatoriedade ‚Äúem rela√ß√£o a pessoas que integrem o mesmo agregado familiar, quando n√£o se encontrem na proximidade de terceiros‚ÄĚ ou mediante a apresenta√ß√£o de um atestado m√©dico de incapacidade multiusos ou declara√ß√£o m√©dica que ateste que a condi√ß√£o cl√≠nica ou defici√™ncia cognitiva n√£o permitem o uso de m√°scaras.

Tamb√©m n√£o √© obrigat√≥rio o uso de m√°scara quando tal ‚Äúseja incompat√≠vel com a natureza das atividades que as pessoas se encontrem a realizar‚ÄĚ.

A fiscaliza√ß√£o ‚Äúcompete √†s for√ßas de seguran√ßa e √†s pol√≠cias municipais‚ÄĚ e o incumprimento do uso de m√°scara constitui contraordena√ß√£o, sancionada com coima entre os 100 e os 500 euros.

A iniciativa do PSD surgiu na sequência da proposta de lei apresentada pelo Governo na semana passada, que pretendia tornar obrigatório quer o uso de máscara quer da aplicação informática StayAway Covid.

Depois das cr√≠ticas generalizadas dos partidos – incluindo do PS – √† obrigatoriedade de usar a ‚Äėapp‚Äô que foi anunciada h√° meses como volunt√°ria, o presidente do PSD, Rui Rio, anunciou a inten√ß√£o dos sociais-democratas apresentarem um projeto id√™ntico ao do Governo, mas apenas na parte relativa √†s m√°scaras, o que foi concretizado na passada sexta-feira.

Em entrevista √† TVI na segunda-feira, o primeiro-ministro, Ant√≥nio Costa, anunciou que o Governo iria ‚Äúdesagendar” a aprecia√ß√£o do seu diploma, ficando apenas a proposta “consensual” do PSD sobre a imposi√ß√£o do uso da m√°scara.

Portugal contabiliza pelo menos 2.245 mortos associados √† Covid-19 em 109.541 casos confirmados de infe√ß√£o, segundo o √ļltimo boletim da Dire√ß√£o-Geral da Sa√ļde (DGS).

LUSA/HN

Portugal registou mais de 16 mil infe√ß√Ķes em apenas sete dias

Portugal registou mais de 16 mil infe√ß√Ķes em apenas sete dias

Os dados constam da publica√ß√£o ‚ÄúCOVID-19: uma leitura do contexto demogr√°fico e da express√£o territorial da pandemia‚ÄĚ do INE e mostram que os 16.247 novos casos de infe√ß√£o detetados nos √ļltimos sete dias s√£o o maior n√ļmero alcan√ßado at√© ao momento e correspondem a 15,8 novos casos por 10 mil habitantes.

Na quarta-feira, Portugal tinha registado um total de 106 casos confirmados por cada 10 mil habitantes, o que representa um aumento de 33% em relação ao acumulado em 7 de outubro, data de referência do destaque anterior do INE.

Com base nos dados divulgados diariamente sobre a pandemia o INE fez uma leitura da evolu√ß√£o dos novos casos de infe√ß√£o com Covid-19, desde o in√≠cio de mar√ßo at√© ao presente, concluindo que houve um “aumento exponencial de novos casos de Covid-19, no acumulado de sete dias em 2 de abril com 5.618”, correspondentes a 5,5 novos casos por 10 mil habitantes, mas que esse aumento foi ultrapassado no dia 04 deste m√™s.

Entre 02 de abril e o final de agosto, o n√ļmero de novos casos situou-se abaixo ou a rondar os 2.500 em sete dias e posteriormente registou-se uma acelera√ß√£o, com valores acima dos quatro mil novos casos desde 13 de setembro e acima dos cinco mil novos casos desde 28 de setembro.

O n√ļmero de novos casos acumulados em sete dias e registados em 2 de abril foi ultrapassado pela primeira vez em 4 de outubro (5.856, correspondentes a 5,7 novos casos por 10 mil habitantes).

Recentemente, registou-se outra vez um aumento exponencial de novos casos de infeção numa semana, com valores acima dos 10 mil a partir de 14 de outubro, registando-se na quarta-feira o valor mais elevado até ao momento: 16.247 novos casos em sete dias o que dá 15,8 novos casos por 10 mil habitantes.

Em 18 de outubro, data da √ļltima atualiza√ß√£o de dados do INE sobre os munic√≠pios, existiam no pa√≠s 98,9 casos confirmados de infe√ß√£o por 10 mil habitantes e em 34 destes, o n√ļmero de novos casos foi superior √† m√©dia nacional em 34 munic√≠pios.

Segundo o INE ‚Äúa express√£o da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial‚ÄĚ

A pandemia de Covid-19 j√° provocou mais de 1,1 milh√Ķes de mortos e mais de 41,3 milh√Ķes de casos de infe√ß√£o em todo o mundo, segundo um balan√ßo feito pela ag√™ncia francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.245 pessoas dos 109.541 casos de infe√ß√£o confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Dire√ß√£o-Geral da Sa√ļde.

LUSA/HN