Irlanda anula quase todas as restrições após superar vaga de Ómicron

22 de Janeiro 2022

O governo irlandês anunciou na sexta-feira que quase todas as restrições resultantes da pandemia de Covid-19 terminam hoje, anulando o fechamento da vida noturna, o recolher obrigatório de bares e restaurantes e as medidas de distanciamento social.

Da mesma forma, serão levantadas as limitações às reuniões em espaços fechados, embora o uso de máscaras em lojas, escolas e transportes públicos continue a ser obrigatório até 28 de fevereiro, conforme decidido ontem pelo Governo, uma coligação entre centristas, democratas-cristãos e ecologistas.

De acordo com o plano de reabertura gradual da sociedade, a hotelaria, ginásios e salas de cinema ou teatros não terão de solicitar o certificado digital a partir de hoje, embora este documento seja mantido para viagens internacionais.

Depois de analisar as recomendações da Equipa Nacional de Emergência de Saúde Pública (NPHET, na sigla em inglês), o Governo dá também luz verde à organização de lotação ilimitada para eventos desportivos em espaços fechados e ao ar livre, anunciou ontem o primeiro-ministro, o centrista Micheál Martin.

“Hoje é um bom dia. A assessoria do NPHET confirmou que superámos a onda da (variante) Ómicron, graças ao nosso sistema de saúde e uma campanha de vacinação líder em todo o mundo”, disse o líder irlandês.

Desde o passado dia 20 de dezembro, após o aparecimento da variante Ómicron, as autoridades irlandesas introduziram novas medidas de controlo, incluindo o encerramento de discotecas e o recolher obrigatório às 20:00 para toda a indústria hoteleira, um setor fundamental para a economia irlandesa.

O Governo também recomendou o regresso ao teletrabalho, mas os escritórios e outros locais de trabalho vão começar a reintegrar os funcionários de forma escalonada a partir de segunda-feira.

Esta semana, o diretor do Serviço Nacional de Saúde (HSE), Paul Reid, já se declarou “moderadamente otimista” quanto à possibilidade de o pico da atual onda de Covid-19 ter sido superado.

Por essa razão, o vice-primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, adiantou que o Governo pode ser “menos cauteloso” na hora de eliminar as restrições, depois de verificar que o impacto da vaga de Covid-19 provocada pela Ómicron não foi pior do que o de uma “gripe ruim sazonal”.

O Serviço Nacional de Saúde (HSE) anunciou quinta-feira que foram registadas 6.597 novas infeções através de testes de PCR, enquanto as de antigénios enviados para o portal do HSE na Internet somaram mais 4.564.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights