UCI exige dose de reforço ou teste PCR negativo para acesso a corridas

22 de Janeiro 2022

A União Ciclista Internacional (UCI) anunciou na sexta-feira que o acesso às provas por parte dos corredores ficará dependente da apresentação de quadro vacinal contra a Covid-19 completo com a dose de reforço ou um teste PCR negativo.

O protocolo sanitário para a temporada 2022, ontem tornado público pela UCI, exige a terceira dose da vacina, ou um PCR nas últimas 48 horas, para provas de um dia e corridas com menos de sete etapas.

O organismo de cúpula do ciclismo mundial deixou ainda aberta a porta a medidas mais apertadas se os países em que decorrem as corridas assim o quiserem.

Nas provas com mais de sete etapas, como é o caso das três grandes Voltas (França, Itália, Espanha), mas também a Volta a Portugal, será pedido um teste negativo “independentemente do esquema vacinal”.

No Tour, no Giro e na Vuelta realizar-se-ão ainda testes intermédios em todos os dias de descanso.

Estes requisitos aplicam-se a todos os membros das “bolhas de equipa” e de prova, isto é, não só aos ciclistas e demais equipas técnicas, mas também à organização, comissários de corrida, funcionários de instituições antidopagem, jornalistas e organizadores.

A terceira dose é assim “fortemente recomendada”, para facilitar um protocolo que entra em vigor em 24 de janeiro e aplica-se a quase todos os eventos sancionados pela UCI.

“A pandemia continua a trazer-nos sofrimento e obstáculos, mas temos demonstrado nos últimos anos que o ciclismo é capaz de se manter em funcionamento graças à responsabilidade de todas as partes”, declarou o presidente da UCI, David Lappartient, citado em comunicado.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

IPO do Porto vai criar Conselho Consultivo do Doente

O Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto vai criar “ainda este ano” o Conselho Consultivo do Doente Oncológico, para dar voz aos utentes e contribuir para a literacia em saúde em Portugal, foi hoje anunciado.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights