26/01/2022 | Lusa, Nacional, Notícias

Hospital S. Gonçalo de Lagos passou para o Centro Hospitalar do Algarve

O Hospital São Gonçalo de Lagos passou na terça-feira a contar com serviços prestados exclusivamente pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), através do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, após um acordo celebrado com o grupo HPA, foi ontem anunciado.

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), que contava já com unidades em Faro, Portimão e Lagos, junta assim o Hospital São Gonçalo de Lagos (HSGL) às suas respostas, depois de ontem ter sido assinado o contrato que fez a cessão de posição contratual do grupo HPA para o CHUA, alterando o seu nome para Hospital Terras do Infante, referiu a administração da unidade de saúde algarvia num comunicado.

Com este contrato, o CHUA passa a dispor de “44 camas, Bloco Operatório, consultas, laboratório, Imagiologia e Serviço de Urgência Básico [SUB]” e pode “ampliar a qualidade de cuidados de saúde, em segurança, pela imagem da região”, num edifício onde há um ano já tinha ocupado a unidade de internamento no âmbito das medidas sanitárias adotadas durante o estado de emergência devido à pandemia de Covid-19.

“O contrato de arrendamento entre a CGD (FII SaúdeInveste) e o CHUA visa colocar e estabilizar no perímetro do SNS, as instalações do Hospital São Gonçalo de Lagos (construção de 2005), cujo internamento ocupámos, há exatamente um ano, ainda com base na lei da declaração do estado de emergência (jan. 2021), por acordo de então entre a ARS Algarve e o grupo privado HPA (que termina a exploração)”, destacou o conselho de administração do CHUA.

A mesma fonte frisou que, com esta solução, o CHUA pode “repor e recuperar agora também a resposta em atividade cirúrgica e ampliar o respetivo internamento, em substituição das instalações arrendadas do antigo hospital de Lagos (construção de 1496), a operar no limite da segurança estrutural e cuja localização adversa é deveras preocupante”.

Na cerimónia de assinatura realizada nas instalações do HSGL, a presidente do conselho de administração do centro hospitalar algarvio, Ana Varges Gomes, considerou que a passagem dessa unidade para a esfera do SNS representa um “momento histórico para o CHUA”, ao “permitir oferecer mais e melhores cuidados de saúde” e levar “os cuidados diferenciados para perto da população”.

Para João Bacalhau, presidente do conselho de administração do grupo HPA, o contrato que cede a posição contratual ao CHUA exemplifica “a colaboração entre os prestadores de cuidados de saúde privados e o SNS em prol da população”.

Igualmente citada no comunicado do CHUA, a vereadora da Câmara de Lagos Sara Coelho afirmou que “este novo hospital ao serviço do SNS vai ser muito importante para o município de Lagos e para as Terras do Infante, uma vez que o crescimento dos serviços de saúde representa também o crescimento da região”, que abrange os municípios de Aljezur e de Vila do Bispo, que formam a Associação Terras do Infante com a autarquia lacobricense.

O CHUA lembrou que as negociações para o “arrendamento deste espaço hospitalar tiveram início em março de 2021, quando o Conselho de Administração do CHUA manifestou à tutela o interesse em desenvolver esforços para realizar, com acordo de princípio do HPA, a transferência integral do antigo hospital de Lagos para o HSGL”.

Como condição, era necessário “conseguir as mesmas condições de exploração desta unidade com o Fundo Imobiliário da CGD, proprietário das instalações, que agora foi alcançado com a Portaria de Autorização assinada já pelas tutelas das Finanças e Saúde”, acrescentou.

LUSA/HN

2 Comments

  1. Paula Nuno

    Na passada sexta feira tive que me deslocar ao Hospital Terras do Infante (ex S. Gonçalo) para uma situação de urgência. Desde que cheguei à porta da urgência que o atendimento foi de grande simpatia, gentileza e profissionalismo. Estamos habituados ao caos das urgências nos hospitais públicos mas neste caso a minha experiência foi positiva. Desde as senhoras da recepção, enfermagem, auxiliares, todos/as de grande simpatia. A única referência menos positiva é mesmo ao médico que talvez por ser estrangeiro não me merece um comentário mas nem tira o mérito a todas as equipas que me atenderam. Obrigada a todos. Bom trabalho.

  2. maria santos

    Grande e importante acontecimento.Costumava ir ao antigo hospital que era privado.Hoje é possivel toda a população do SNS poder seratendida também. PARABÉNS.

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Share This