Estudo sugere que cirurgia da catarata diminui risco de demência em idosos

8 de Fevereiro 2022

Um estudo norte-americano sugere que os pacientes mais velhos que são submetidos à cirurgia da catarata têm menor risco de desenvolver demência.

O estudo “Association Between Cataract Extraction and Development of Dementia” publicado no jornal científico JAMA Internal Medicine, da Associação Médica Americana, indica que os “indivíduos que fizeram cirurgia de catarata tiveram um risco menor de desenvolver demência do que aqueles que não foram submetidos à cirurgia durante um período de acompanhamento médio de cerca de 8 anos, por pessoa”.

Por outro lado, a investigação alerta para o impacto social e psicológico da saúde visual nos mais idosos. “Pessoas cujas cataratas limitam sua visão podem evitar contato social, exercícios e atividades”, o que “pode acelerar o declínio cognitivo”.

“A deficiência visual também pode diminuir a entrada neuronal e acelerar a neurodegeneração ou aumentar a carga cognitiva à medida que as pessoas tentam compensar a perda de visão”, lê-se ainda no estudo norte-americano.

Atendendo aos alertas de especialistas internacionais, a Associação de Profissionais Licenciados de Optometria (APLO) apela a um melhoramento do acesso dos cuidados de saúde da visão no que respeita à cirurgia da catarata.

“Portugal é o segundo país do mundo com média de idade mais elevada e por isso deve preparar-se para os desafios do envelhecimento. Melhorar a saúde ocular no contexto de uma população envelhecida deve ser uma prioridade das principais entidades de saúde e decisores políticos”, adverte Raúl de Sousa, Presidente da Associação de Profissionais Licenciados de Optometria (APLO), referindo o estudo norte-americano.

PR/HN/Vaishaly Camões

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Projeto liderado pela ESEnfC vence Prémio Erasmus+

O projeto europeu de capacitação para a prática de cuidados de enfermagem multiculturais, “MulticulturalCare”, liderado pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC) e com coordenação da professora Ana Paula Monteiro, foi vencedor do Prémio Erasmus+ na categoria de Parcerias de Cooperação no Ensino Superior do ano 2023, foi anunciado na última terça-feira.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights