Autoridade de resposta a emergências sanitárias com orçamento de 1,3 mil ME

10 de Fevereiro 2022

A nova Autoridade de Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA, na sigla inglesa) apresentou esta quinta-feira o seu plano de trabalho para 2022, centrado nas emergências sanitárias transfronteiriças, com um orçamento de 1,3 mil milhões de euros.

A HERA estabeleceu uma série de metas para 2022, tanto no contexto da resposta à pandemia da Covid-19 em curso, como de preparação para potenciais ameaças sanitárias futuras.

Prevenir e preparar para futuras emergências sanitárias transfronteiriças, identificar futuras ameaças à saúde e responder a ameaças, como está a ser feito atualmente para a pandemia da Covid-19 nomeadamente através da distribuição de vacinas dentro e fora do bloco europeu, são objetivos fixados para este ano.

A HERA, criada em setembro de 2021 para coordenar a resposta à pandemia, integra a União Europeia da Saúde e o seu objetivo consiste em criar uma estrutura específica para apoiar o desenvolvimento, o fabrico e a implantação de contramedidas médicas durante uma crise sanitária, quer de origem natural quer deliberada.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Quase um quarto dos médicos do SNS aderiram à dedicação plena

Quase 2.900 médicos aderiram voluntariamente à dedicação plena desde que entrou em vigor há dois meses, representando cerca de 24% do universo de 12 mil especialistas que trabalham nos hospitais do SNS, segundo dados oficiais avançados hoje à Lusa.

Ana Paula Mendes sobre Centro de Informação do Medicamento: “Vamos este ano assinalar os 40 anos de existência”

Em ano de 40.º aniversário, o Centro de Informação do Medicamento da Ordem dos Farmacêuticos quer “perceber com os farmacêuticos como é que o CIM-OF os tem auxiliado e como é que pode contribuir futuramente para a sua atividade diária”, mas pensa assinalar esta data “envolvendo todo o público-alvo: farmacêuticos e cidadãos”, adiantou ao HealthNews a diretora, Ana Paula Mendes.

OMS saúda inclusão de aborto na Constituição francesa

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, saudou a aprovação da inclusão do direito à interrupção voluntária da gravidez na Constituição francesa, defendendo que o aborto seguro salva vidas.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights