Guterres acredita que pandemia pode acabar já este ano

10 de Fevereiro 2022

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu na quarta-feira que o mundo tem os recursos necessários para acabar com a pandemia de Covid-19 ainda este ano, embora para isso seja necessário ajudar os países menos desenvolvidos.

“Podemos acabar com a pandemia em 2022. Estamos no melhor caminho para o conseguir. Mas só o conseguiremos juntos”, disse Guterres, durante um evento organizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para angariar fundos para ajudar na luta contra a Covid-19.

Guterres disse que a pandemia entrou no seu terceiro ano sem que ainda tenham sido alcançados “objetivos cruciais”, como a vacinação generalizada da população mundial, o aumento de testes ou a disponibilização de todos os tratamentos capazes de salvar vidas.

“A desigualdade na distribuição de vacinas é a maior falha moral dos nossos tempos, e os países e as suas populações estão a pagar por isso”, argumentou Guterres, que admitiu, no entanto, que a distribuição de doses das vacinas em países com menos recursos “está a aumentar exponencialmente”.

“Podemos trazer a economia de volta para o normal e atingir as metas de desenvolvimento sustentável, mas precisamos de agir agora”, defendeu o secretário-geral da ONU.

Na iniciativa de ontem, a OMS pediu aos países desenvolvidos que contribuíssem com mais 23 mil milhões de dólares (cerca de 20 mil milhões de euros) para a luta global contra a pandemia.

Deste total, 16 mil milhões de dólares (cerca de 14 mil milhões de euros) destinam-se ao ACT Accelerator – um programa internacional de produção de testes, medicamentos e vacinas – e o restante servirá para outros instrumentos de combate ao novo coronavírus.

Com o dinheiro solicitado, o ACT Accelerator planeia comprar 600 milhões de vacinas, 700 milhões de testes de diagnósticos, tratar 120 milhões de doentes e fornecer equipamentos de proteção para 1,7 milhões de profissionais de saúde, especialmente em países com redes de saúde mais frágeis.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights