Laboratórios Germano de Sousa encerrados hoje aos doentes

11 de Fevereiro 2022

Os laboratórios de análises clínicas Germano de Sousa estão fechados ao público e só voltam a funcionar “em pleno” na segunda-feira, na sequência do ataque informático de que foram alvo na quinta-feira, disse à Lusa o administrador do grupo.

De acordo com o médico, hoje, os laboratórios não estão a receber doentes, nem a fazer testes ao SARS-CoV-2.

“É uma falha [impossibilidade de fazer os testes]. Vai fazer falta ao panorama nacional, mas não podemos fazer mais do que isto”, adiantou o fundador do grupo e médico patologista Germano de Sousa.

Germano de Sousa adiantou que no domingo, “na pior das hipóteses”, já estarão a funcionar os serviços de urgência do laboratório, mas o funcionamento em pleno, só na segunda-feira.

“Já estará tudo a funcionar em pleno no domingo, mas como no domingo só fazemos urgências, na segunda-feira estamos de portas abertas e a funcionar normalmente”, avançou.

Apesar de os “piratas” informáticos não terem acedido à base de doentes, Germano de Sousa disse que para “evitar qualquer possibilidade” que isso aconteça a equipa de cibersegurança do grupo e os especialistas estão a “limpar tudo” e “quase a renovar” as suas ligações e os programas, que permitem as ligações ao exterior, “e isso vai demorar mais tempo do que se supunha”.

Segundo o responsável, as ligações com os hospitais parceiros laboratoriais ainda estão neste momento cortadas.

“Nós temos os nossos laboratórios nos hospitais e aí não há perigo absolutamente nenhum, mas as ligações com o laboratório central estão cortadas para evitar a mínima hipótese de contaminação”, sublinhou.

Adiantou ainda que os rastreios ao vírus SARS-CoV-2 que tinham realizado “vão sair todos e vão ser todos comunicados” à plataforma do Ministério da Saúde SINAVE.

“Estamos a fazer as análises como sempre, isso não foi alterado em nada e estamos a despachar todos os rastreios covid que tínhamos”, disse o patologista.

Questionado se o Grupo Germano de Sousa já recebeu algum pedido de resgate, afirmou que não.

“Teoricamente isto seria um ataque ‘ransomware’ [em que é pedido um resgate]”, mas por enquanto ainda não foi recebida nenhuma mensagem nesse sentido.

O Grupo Germano de Sousa adiantou na quinta-feira em comunicado grupo Germano de Sousa que a sua equipa de cibersegurança está em estreita articulação com todas as autoridades competentes, nomeadamente, a Polícia Judiciária, a Comissão Nacional de Proteção de Dados] e o Centro Nacional de Cibersegurança.

Segundo o grupo Germano de Sousa, o ciberataque, ocorrido na madrugada de quinta-feira, foi “deliberado e criminoso com o objetivo de causar danos e perturbações à sua atividade e aos seus doentes”, mas “não existe qualquer evidência” de que os dados dos seus doentes tenham sido comprometidos.

Afirma ainda no mesmo comunicado que “monitoriza continuamente a segurança da sua infraestrutura e dos seus sistemas de informação”, tendo detetado de imediato o ataque informático e tomadas medidas técnicas de contenção de forma a garantir a proteção de todos os sistemas.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Projeto liderado pela ESEnfC vence Prémio Erasmus+

O projeto europeu de capacitação para a prática de cuidados de enfermagem multiculturais, “MulticulturalCare”, liderado pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC) e com coordenação da professora Ana Paula Monteiro, foi vencedor do Prémio Erasmus+ na categoria de Parcerias de Cooperação no Ensino Superior do ano 2023, foi anunciado na última terça-feira.

Sindepor vai impugnar concurso da ARS Norte

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros (Sindepor) vai “contestar juridicamente a alteração súbita das regras de um concurso destinado à contratação de 61 enfermeiros para a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte”, divulgou hoje o Sindepor.

Número de mortos em esfaqueamento na Austrália sobe para seis

O número de vítimas mortais do esfaqueamento que ocorreu hoje num movimentado centro comercial em Sidney, na Austrália, subiu de cinco para seis, depois de um dos feridos hospitalizados ter sucumbido aos ferimentos, confirmou a polícia australiana.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights