Manifestantes anti-vacinas mantêm bloqueio em fronteira entre Canadá e EUA

12 de Fevereiro 2022

Os manifestantes anti-vacinas no Canadá continuavam este sábado a bloquear uma importante rota na fronteira com os Estados Unidos, desafiando uma ordem judicial para desocupar o local, duas semanas após o início do movimento, que não para de crescer.

O bloqueio durante vários dias da Ponte Embaixador, que liga Windsor, Ontário, à cidade norte-americana de Detroit, levou Washington a apelar ao primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, para resolver a crise.

O encerramento na segunda-feira deste importante posto fronteiriço, que liga Ontário e a cidade norte-americana de Detroit, já causou perturbações na indústria automóvel de ambos os lados da fronteira.

Apesar de uma decisão do tribunal do Ontário publicada na sexta-feira que ordena os manifestantes a se retirarem, hoje de manhã os mesmos não se tinham mudado.

Muitos outros manifestantes também se juntaram na capital Otava, onde as ruas têm estado entupidas com centenas de grandes camiões nas últimas duas semanas, inspirando movimentos semelhantes em França e na Nova Zelândia.

Washington tinha colocado o Governo canadiano sob pressão na quinta-feira ao pedir para usar “poderes federais”. E na sexta-feira, durante uma chamada telefónica com Justin Trudeau, o Presidente dos EUA, Joe Biden, falou diretamente das “graves consequências” do bloqueio para a economia dos EUA.

Mais de 25% das mercadorias exportadas entre os Estados Unidos e o Canadá passam por esta fronteira.

Algumas horas mais tarde, Justin Trudeau indicou que as fronteiras “não iriam permanecer bloqueadas”, prometendo intensificar a repressão policial.

Enquanto disse que “todas as opções” estavam “sobre a mesa”, o primeiro-ministro também deixou claro que ainda não está preparado para destacar o Exército, “um último, último recurso”.

Na sexta-feira de manhã, o primeiro-ministro de Ontário, a província onde se encontra a Ponte Embaixador e a capital federal Otava, declarou o estado de emergência.

“Tomaremos todas as medidas necessárias para assegurar que a fronteira seja reaberta. E ao povo de Otava que está sitiado, digo: ‘Vamos assegurar-nos de que podem voltar à normalidade o mais depressa possível'”, disse Doug Ford numa conferência de imprensa.

Algumas horas mais tarde, um juiz ordenou aos manifestantes – estimados em centenas, juntamente com várias dezenas de camiões – que deixassem a ponte até às 19 horas (00:00 GMT) de sexta-feira, de acordo com o presidente da Câmara de Windsor, Drew Dilkens.

Dois outros postos fronteiriços estão também bloqueados: o primeiro, em Emerson, liga a província de Manitoba ao Dakota do Norte, enquanto o segundo está localizado em Alberta.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada

Os trabalhadores do Hospital de Braga não querem regressar à Parceria Público-Privada (PPP), garante Camilo Ferreira, coordenador da Comissão de Trabalhadores, que recordou, em conversa com o HealthNews, a exaustão dos profissionais naquele modelo de gestão e, como Entidade Pública Empresarial (EPE), a melhoria das condições de trabalho e do desempenho.

Governo quer “articulação virtuosa” entre entidades de saúde

O Governo está a avaliar as atribuições de entidades como a Direção-Executiva do SNS, a DGS e o Infarmed para garantir “uma articulação virtuosa” que consiga diminuir a burocracia e concretizar as políticas de saúde, anunciou hoje a ministra.

Menopausa: Uma doença ou um processo natural de envelhecimento?

A menopausa foi o “elefante na sala” que a Médis trouxe hoje ao Tejo Edifício Ageas Tejo. O tema foi abordado numa conversa informal que juntou diversos especialistas. No debate, os participantes frisaram que a menopausa não é uma doença, mas sim um “ciclo de vida”. 

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights