Livro “Saúde em Portugal – Pensar o Futuro”: Personalidades com experiência no setor contribuem com ideias para melhorar o sistema de saúde

O livro “Saúde em Portugal – Pensar o Futuro”, coordenado por Adalberto Campos Fernandes e escrito por mais de uma dezena de personalidades com experiência no setor, foi lançado na passada quinta-feira, dia 28 de abril, no Auditório da Associação Mutualista Montepio, em Lisboa.

Encerrada a apresentação, em declarações ao HealthNews, o ex-ministro da Saúde, que também escreveu um dos textos do livro que coordenou, salientou: “talvez o mais importante seja (…) olharmos para a saúde como um poderoso fator de diferenciação, de desenvolvimento económico, de inovação tecnológica, de bem-estar social”. “(…) portanto, a principal mensagem [do livro] seria olhar (…) para as políticas públicas em saúde como algo que permite um país avançar, evoluir, não apenas nos resultados diretos com o estado de saúde ou de doença, mas também com o bem-estar económico, com as condições de vida”.

Durante a tarde, o HealthNews falou também com outros dois autores, José António Mendes Ribeiro, administrador do CESADI

– Centro de Saúde Digital, e Óscar Gaspar, presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP). O primeiro, que escreveu sobre a transformação digital na saúde, recordou que o seu tema “é justamente uma das componentes fundamentais para pensar o futuro e trazer um nível de serviço que o digital veio permitir”.

“Tenho defendido o princípio fundamental, estruturante que é termos um registo de saúde eletrónico. Esse registo, que cada português devia ter, considero até um serviço público, na medida em que permitiria juntar toda a informação de saúde de cada pessoa quando circulamos nas várias áreas, seja no operador privado, no setor social, ou no setor público, e disponibilizar toda essa informação (…) em qualquer ponto do sistema de saúde”, explicou.

Já Óscar Gaspar explorou a inovação organizacional. “Eu tentei refletir um pouco sobre a organização do sistema como um todo” e “algumas medidas sobre o próprio SNS”, disse. O presidente da APHP defende: separação entre o prestador e o financiador; maior grau de transparência na contratualização dentro do SNS e do SNS com os privados; mais parcerias e o envolvimento de todas as entidades; uma forte aposta na transição digital e a criação de um Ministério da Transição Demográfica que assuma a liderança do desafio que é o envelhecimento da população.

Para Óscar Gaspar, “este livro é muito oportuno, muito importante”, e é “absolutamente essencial que haja uma reforma na saúde, porque o nosso sistema de saúde precisa muito de criar condições de resiliência e de sustentabilidade”.

O prefácio é da autoria de Luís Portela, presidente da Fundação Bial. Depois de uma conferência sobre o futuro da saúde, com Eduardo Mastranza, Luís Portela apresentou a obra, que, apesar de reunir personalidades com experiências e ideias diferentes, tem “um certo consenso”, com “três grandes desejos”: “um é que a saúde que se faz em Portugal faz-se bem, mas poderá e deverá fazer-se melhor; outro é que a saúde que se faz em Portugal tem um enorme potencial de desenvolvimento; e o terceiro, finalmente, a saúde que se faz em Portugal (…) merece uma reforma”.

“É um livro cheio de bom senso, muito ligado à realidade, que se lê bem, com muitas ideias, reflexões, que, a meu ver, podem ser de facto úteis”, com “coisas sensatas”, referiu Luís Portela.

Em representação dos autores, José Fernandes e Fernandes, coordenador da Especialidade de Cirurgia Vascular do Hospital da Luz Torres de Lisboa, afirmou: “É uma proposta reformadora, que assenta numa visão multiprofissional, multidisciplinar, global, não compartimentada por interesses”, em que se defende que “a saúde deve permear todas as políticas públicas do país e, também, que a saúde pode ser um trigger para a produção da riqueza”.

Os autores do livro da Editora d’Ideias são: Adalberto Campos Fernandes, Ana Paula Martins, Fernando Araújo, Filipa Fixe, Helena Pereira de Melo, José António Mendes Ribeiro, José Fernandes e Fernandes, Luís Filipe Pereira, Manuel Lemos, Maria de Belém Roseira e Óscar Gaspar.

HN/Rita Antunes

1 Comment

  1. Maria José Gonçalves Pedro

    Sou grande fã do professor Adalberto Campos Fernandes e vou já amanhã comprar o livro
    E será com muito interesse que o vou ler, até porque conheço bem o seu trabalho quando ministro da saúde! 👏👏👏

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Share This