Concentração de pólen no ar baixa a moderada no Continente e Ilhas

26 de Abril 2024

A concentração de pólens no ar deverá reduzir na próxima semana com níveis baixos ou moderados em todas as regiões de Portugal Continental e das Ilhas, informou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).

Segundo as previsões da SPAIC para a semana entre 26 de abril e 02 de maio, “irá observar-se uma redução considerável na concentração de pólen na atmosfera de Portugal Continental, prevendo-se um risco baixo a moderado para os doentes alérgicos ao pólen”.

Esta redução deverá ocorrer graças ao efeito “lavagem da atmosfera”, que é causado pela precipitação, que está prevista ocorrer em Portugal Continental ao longo de toda a semana.

De acordo com o Boletim Polínico n.º 06, enviado à agência Lusa, todas as regiões do Continente e das Ilhas deverão registar “concentração de pólen no ar baixa a moderada”.

Na atmosfera do Continente, destacam-se os grãos de pólen provenientes das árvores cipreste, pinheiro, carvalhos, azinheira e sobreiro e das ervas gramíneas, tanchagem, urtiga, azeda e urticáceas (inclui a parietária).

Particularmente, nas regiões do Algarve, Lisboa e Setúbal observa-se a polinização do quenopódio e, começam também a aparecer nestas regiões, os primeiros grãos de pólen provenientes da oliveira, incluindo-se também a região da Beira Litoral.

Nas regiões do Norte e no Centro do país observa-se a polinização da bétula.

Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, o pólen presente na atmosfera é predominantemente das árvores pinheiro e cipreste (e/ou criptoméria nos Açores) e das ervas urticáceas (inclui a parietária), tanchagem e gramíneas.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights