FNAM saudou postura “mais séria” da nova ministra na reunião negocial

26 de Abril 2024

A presidente da Federação Nacional dos Médicos, Joana Bordalo e Sá, considerou hoje que a nova equipa ministerial da Saúde teve, na primeira reunião negocial, “uma postura mais séria e de compromisso diferente” do que a do anterior Governo.

À saída da reunião com a equipa liderada pela ministra da Saúde, Ana Paula Martins, a dirigente sindical adiantou que foi apresentada uma convocatória com uma ordem de trabalhos, tendo ficado “o compromisso de que as formalidades e a correção na mesa negocial, em termos de negociação coletiva, se vão cumprir”.

Referiu também que a federação teve a oportunidade de apresentar as suas principais propostas, entre as quais a questão da grelha salarial, que defende ser “muito importante atualizar, assim como outras medidas que têm a ver com condições de trabalho”.

“Apresentámos todas as nossas propostas e há o compromisso do outro lado de, em cerca de um mês, pelo menos até 27 de maio nos voltarmos a sentar à mesa para firmarmos um protocolo negocial. Esperemos que assim seja, temos essa expectativa, os médicos têm essa expectativa”, declarou a líder sindical.

Defendeu, por outro lado, que “o Serviço Nacional de Saúde não pode esperar mais”, precisa ter mais médicos, sendo por isso necessário um “esforço de ambas as partes” para garantir mais médicos no SNS.

Questionada se houve abertura por parte da tutela em relação a um aumento salarial de 30%, Joana Bordalo e Sá disse que, pelo menos, houve abertura para ouvirem as propostas.

Mas, ressalvou, não se trata apenas de uma questão de grelha salarial: “É necessário compensar os médicos pela perda do poder de compra na última década, mas não é só isso”.

A líder sindical apontou a questão das condições de trabalho, o regresso às 35 horas de trabalho semanas, a integração dos médicos internos, que são um terço da força de trabalho médico no SNS, na carreira, o que não tem qualquer tipo de impacto orçamental.

Destacou também as questões relacionadas como os médicos de família, de saúde pública e hospitalares.

“Houve este compromisso por parte do Ministério da Saúde há este compromisso também da nossa parte e esperemos chegar a bom porto, sendo que é certo e sabido que a Federação Nacional dos Médicos não estará nunca em condições de aceitar perda de direitos”, frisou.

A líder da Fnam frisou que para haver médicos no SNS, os seus direitos têm que estar assegurados, com melhores condições e humanização no trabalho.

“Isto só se faz através de uma negociação que seja séria, que seja competente e que cumpra as regras da negociação”, disse, desejando que “corra de forma séria, de forma transparente, sem jogos de bastidores, e que não dure os 19 meses”.

Antes de entrar na reunião, Joana Bordalo e Sá afirmou que a Fnam vem para a mesa negocial “com boa-fé, com soluções das diversas matérias” para melhorar as conduções de trabalho dos médicos, que continuam a ser dos “mais mal pagos a nível europeu”.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APAH defende autonomia após ministra anunciar auditoria

 A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) defendeu hoje autonomia para as administrações tomarem decisões, depois de a ministra da Saúde anunciar a criação de uma comissão para auditar os conselhos de administração dos hospitais.

Enfermeiros denunciam situação “explosiva” na Linha SNS 24

A Linha SNS 24 vive uma situação “explosiva” e, entre os enfermeiros que prestam serviço nesta linha de atendimento, já se fala em paralisação. A denúncia é feita pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE), que teve conhecimento do caso por meio de uma exposição dos enfermeiros que ali prestam serviço, em tempo parcial.

Violência contra a pessoa idosa em debate

A Câmara Municipal de Ponta Delgada (São Miguel, Açores) promove na próxima sexta-feira, às 9h30, uma palestra subordinada ao tema da consciencialização da violência contra a pessoa idosa, isto na véspera do dia mundial que lhe é dedicado pela Organização das Nações Unidas.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights