Macau aprova lei anti-cigarros eletrónicos, deputados também querem proibir consumo

9 de Junho 2022

O parlamento de Macau aprovou hoje na generalidade uma alteração à lei de prevenção e controlo tabágico que proíbe o fabrico, distribuição, venda, importação, exportação e transporte na entrada e saída do território de cigarros eletrónicos.

A lei prevê sanções aos infratores no valor de quatro mil patacas (462 euros), sendo que, no caso de entidades, pode ser aplicada uma multa entre 20 mil patacas (2.310 euros) e 200 mil patacas (23.100 euros).

Durante o debate, os deputados da Assembleia Legislativa sustentaram que o Governo deveria ir mais longe, avançando também com a proibição do consumo de cigarros eletrónicos.

Outros defenderam o reforço da sensibilização antitabágica e mostraram-se preocupados com o risco de que a nova legislação aumente o contrabando de cigarros eletrónicos.

As alterações legislativas vão agora ser discutidas na especialidade.

O Governo justificou as alterações à lei com “as fortes evidências de que este tipo de produto do tabaco é não só prejudicial à saúde, como também a utilização pode pôr em risco a segurança das pessoas”, lembrando que aumentou o consumo de cigarros eletrónicos, sobretudo entre os jovens.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Álcool mata 2,6 milhões de pessoas por ano

O álcool mata 2,6 milhões de pessoas por ano, alertou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS), considerando que este número permanece “inaceitavelmente elevado”, apesar da descida ligeira que tem registado nos últimos anos.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights