Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão alerta que doença aumenta risco de morte

2 de Setembro 2022

O Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão (GECP) lembra que “o cancro do pulmão não é um jogo” e apela à população para um papel ativo na prevenção da doença. Trata-se do tipo de cancro que mais mata em Portugal.

Daniel Coutinho, membro da Comissão Científica do GECP, alerta que “a incidência do cancro do pulmão aumenta a um ritmo de 0.5% por ano em todo o mundo e, em Portugal, é a principal causa de morte por doença oncológica”.

“A forma mais eficaz de prevenir o cancro do pulmão é não fumar e, se é fumador, parar o consumo tabágico, uma vez que existe uma relação intrínseca entre o tabaco e o desenvolvimento de cancro do pulmão”, refere o médico pneumologista.

De acordo com o especialista, o cancro do pulmão pode crescer durante muito tempo “sem qualquer sintoma”, dificultando o diagnóstico em fases iniciais.

Assim, “os doentes que se encontram dentro dos grupos de risco devem consultar o seu médico regularmente para monitorizar a sua saúde”.

O pneumologista destaca que “sintomas como tosse irritativa e persistente ou com sangue; dor torácica, no ombro e braço; dificuldade respiratória; pieira ou chiadeira no peito; dificuldade em engolir; fadiga e perda de apetite/emagrecimento; rouquidão/alteração da voz; ou dor óssea, devem suscitar a procura imediata de assistência médica.”

PR/HN/Vaishaly Camões

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Luís Meira diz que Força Aérea não tinha meios para ajudar INEM

O presidente demissionário do INEM revelou hoje que quando o instituto foi forçado a reduzir o serviço de helicópteros durante a noite, no início do ano, contactou a Força Aérea, que disse não ter meios para poder garantir a resposta necessária.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights