Armando de Medeiros Médico (aposentado) de Clínica Geral, autor do livro “Saber Envelhecer - Uma viagem pela saúde dos seniores” (LIDEL)

A propósito do Dia Internacional do Idoso

10/01/2022

O Dia Internacional do Idoso, comemorado no dia 1 de outubro de cada ano, constitui uma boa ocasião para reforçar mensagens relativas a problemas de saúde dos mais velhos. Neste texto, vou-me debruçar sobre dois temas importantes, um mais relacionado com aspetos preventivos e o outro referente a uma doença comum neste grupo etário. Refiro-me ao risco de quedas e à doença de Alzheimer.

Risco de quedas – as limitações que se vão instalando com o avançar da idade, e a deficiente organização das nossas casas e dos espaços públicos, estão longe de serem ideais para a movimentação dos idosos com a devida segurança. Para diminuir a possibilidade de ocorrer um acidente que leve a uma queda, temos que ser proactivos na sua prevenção. Neste contexto, apresento algumas dicas relativas à prevenção de quedas: retire os tapetes de todas as divisões da casa; coloque um tapete antiderrapante na banheira e/ou no duche; não suba escadotes; na cozinha, coloque os utensílios e produtos alimentares que utiliza no dia a dia em locais de fácil acesso e arrume os utensílios mais pesados em locais mais baixos; não desça escadas com as duas mãos ocupadas, procure sempre apoiar-se num corrimão.

Doença de Alzheimer – A doença de Alzheimer é a causa mais frequente de demência nos idoso e caracteriza-se por um conjunto de distúrbios que afetam a memória, a capacidade intelectual, o raciocínio, as reações emocionais e a relação social. Estas perturbações vão-se agravando ao longo do tempo, levando a um comprometimento das atividades de vida diária e de relação e, por fim, à perda de autonomia. Infelizmente, a medicação que se utiliza para o tratamento da doença de
Alzheimer ainda não á muito eficaz, mas esperam-se avanços significativos nesse tratamento, ao longo dos próximos anos.

Depois de ser diagnosticada uma demência, devem ser implementadas medidas não farmacológicas que complementem a terapêutica medicamentosa. Apresento, em seguida, algumas dicas dirigidas aos cuidadores de pessoas com demência: evitar o isolamento social; manter o contacto visual com o doente; manter o doente bem alimentado e hidratado; providenciar rotinas diárias e não esquecer a realização de exercício físico; acordar com o médico assistente uma revisão regular da terapêutica, tendo em atenção não só a eficácia dos medicamentos, mas, sobretudo, os seus possíveis efeitos secundários.

Estes e muitos outros temas da saúde do idoso estão tratados em mais pormenor no livro Saber Envelhecer – Uma viagem pela saúde dos seniores, que acabei de escrever e que podem encontrar nas bancas na segunda quinzena de outubro.

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

APDI dedica mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII)

A APDI – Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, colite ulcerosa, doença de Crohn está a dedicar, mais uma vez, o mês de maio à consciencialização para a Doença Inflamatória do Intestino (DII) seguindo as indicações da EFFCA – Federação Europeia das  Associações de Doença de Crohn e Colite Ulcerosa que neste ano de 2024 escolheu como mote “A  DII não tem fronteiras”.

Nuno Jacinto: “A Medicina Geral e Familiar tem um papel central em todos os sistemas de saúde”

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) reforçou a importância da especialidade na promoção da saúde e prevenção da doença. No âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, Nuno Jacinto falou ao HealthNews sobre os constragimentos que estes profissionais de saúde enfrentam e dos desafios que os cuidados de saúde primários enfrentam em Portugal.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights