Portugal já registou mais de 30 focos de gripe aviária de alta patogenicidade

12 de Outubro 2022

O bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários alertou esta quarta-feira que Portugal já registou mais de 30 focos de gripe aviária de alta patogenicidade desde o ano passado e sublinhou o "papel primordial" destes profissionais na defesa da saúde pública.

Jorge Cid, que falava na comissão parlamentar de Saúde, frisou a importância do conceito “one health” (uma só saúde), envolvendo a saúde humana, a saúde animal e o ambiente, e a necessidade de os veterinários “estarem cada vez mais integrados neste conceito”.

Na audição na comissão de Saúde, onde hoje foram ouvidas diversas ordens profissionais do setor, Jorge Cid destacou a abrangência e importância dos médicos veterinários, considerando que “têm um papel primordial na defesa de saúde pública”.

A este respeito, lembrou a pandemia de gripe aviária – “a maior de sempre e que já atingiu 37 países” -, sublinhando que Portugal já identificou desde o ano passado mais de 30 focos de gripe aviária de alta patogenicidade do subtipo H5N1 em aves domésticas e selvagens.

O responsável lembrou que 60% das infeções em humanos são zoonóticas, que 75% das doenças emergentes são de origem animal e que, em cada cinco novas doenças, três são de origem animal.

Jorge Cid adiantou ainda que “80% dos agentes patogénicos usados em terrorismo tem origem em animais”, para sublinhar a importância de integrar cada vez mais os médicos veterinários nos grupos de trabalho na área da saúde e nas decisões na área da saúde pública, criando condições para que estes profissionais se fixem em Portugal.

Segundo dados da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), desde 30 de novembro de 2021 têm sido confirmados pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (laboratório nacional de referência para as doenças dos animais) vários focos de infeção por vírus da gripe aviária de alta patogenicidade do subtipo H5N1 em aves domésticas e selvagens.

Até ao dia 30 de setembro a DGAV registou 321 focos, afetando mais de meio milhão de aves.

LUSA/HN

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS

Altamiro da Costa Pereira: “A Inteligência Artificial não passa de mais uma ferramenta à disposição do médico”

O impacto das tecnologias no ensino da Medicina e da prática clínica foi o tema escolhido para encerrar o ciclo de conversas conduzidas pelo professor catedrático, Jorge Polónia. Desta vez, e para terminar com ‘chave de oro’, o convidado foi o Diretor da Faculdade de Medicina do Porto, o Prof. Altamiro da Costa Pereira. O responsável destacou que apesar de a Inteligência Artificial ser uma ferramenta “poderosíssima”, esta “nos dá por si só novo conhecimento”, o que significa que “a investigação vai continuar a ser feita” e os médicos vão ser sempre necessários.

MAIS LIDAS

Share This
Verified by MonsterInsights